Empresas contestam decisão do Mapa sobre restrições à venda de aves

Publicado em 05/08/2010 08:22 245 exibições
As empresas contestaram a decisão do Ministério da Agricultura de impor restrições à venda de aves.

A Brasil Foods apresentou recurso contestando o resultado da análise que, segundo o governo, detectou presença de água em produtos da empresa acima do permitido.

"A BRF entende que as imposições não possuem lastro legal e questiona os critérios técnico-científicos da metodologia adotada para essas avaliações", disse, em nota.

A Copacol informou que nas vistorias "não foram constatadas irregularidades nas amostras das análises realizadas com relação à quantidade de água resultante do descongelamento".

Segundo a empresa, suas vendas foram mantidas normalmente, "sem ter passado por interrupção".

O diretor administrativo-financeiro da Rigor Alimentos Ltda., Carlos Lima, também negou irregularidades. Segundo Lima, as análises não constataram o excesso e a produção não foi interrompida após a fiscalização inicial do ministério.

Nelmon Costa, diretor do ministério, admite que a avaliação para esse tipo de corte de aves não consiste em uma análise de perícia técnica.

"Admitimos que a análise não tem precisão científica e por isso nossos critérios não são extremamente rigorosos." Segundo ele, uma equipe do ministério vem desenvolvendo uma técnica que utilize critérios para tornar a avaliação mais precisa.

Leia também:

Frango com excesso de água tem vendas suspensas pelo governo

Tags:
Fonte:
Folha de São Paulo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário