Desempenho do frango vivo em setembro de 2010

Publicado em 01/10/2010 13:34
317 exibições
Mesmo tendo perdido dez centavos de seu preço nos dois últimos dias de setembro – fato atribuído, como sempre, ao “zeramento” do poder aquisitivo e à retração do consumidor nessa época do mês – o frango vivo encerrou o nono mês do ano com saldo positivo, visto ter obtido, antes dessa perda, ajuste total de 30 centavos (último preço de agosto: R$1,70/kg; maior valor em setembro: R$2,00/kg).
Dessa forma alcançou no mês preço médio muito próximo de R$1,93/kg, valor que além de estar 19,26% acima da média de quase R$1,62/kg registrada no mês anterior, agosto, também correspondeu a um aumento de mais de 40% sobre o mesmo mês do ano passado, setembro de 2009.
Mas que ninguém se engane com os resultados alcançados. Por, pelo menos, três razões diferentes. A primeira é que a variação anual de 40,52% só ocorreu porque, na entressafra da carne deste ano, o mercado do frango vivo experimenta situação oposta à do ano passado. Assim, enquanto o melhor preço de 2010 foi registrado exatamente em setembro (valorizando-se quase 18% em relação à média alcançada em dezembro/09), há um ano, no mesmo mês, o frango vivo tinha seu pior resultado de 2009 (desvalorização de mais de 15% em relação a dezembro/08).
A segunda razão para que não se encare com euforia os resultados de setembro de 2010 está no fato de eles terem sido bons apenas na aparência. É verdade que em nenhum momento anterior foi alcançada a cotação de R$2,00/kg, que prevaleceu por exatas duas semanas de setembro. Mas a média mensal, de aproximadamente, R$1,93/kg não tem nada de excepcional. Continua aquém da alcançada há mais de dois anos, em agosto de 2008, ocasião em que o frango vivo obteve, no mês, preço médio de R$1,94/kg.
Mas a terceira e talvez mais decisiva razão para que ninguém se engane com os resultados de setembro – que, até pelo contrário, devem ser encarados com relativa preocupação – advém da constatação de que nem mesmo a valorização experimentada no mês foi suficiente para cobrir a elevação de custos da principal matéria-prima do setor, o milho – cujos preços tendem a continuar ascendentes pelo restante do ano e 2011 a dentro.
Em outras palavras, enquanto, de um lado, são pequenas as chances de, doravante, o preço pago pelo frango (vivo ou abatido) ir muito além dos patamares atuais, de outro lado sua produção deve receber forte e crescente pressão de custo de sua matéria-prima base. É uma perspectiva que precisa ser convenientemente avaliada.

20101001_tabela.gif
Tags:
Fonte: Avisite

0 comentário