Preço do leite volta a subir em Santa Catarina e vai a R$ 0,582 por litro

Publicado em 29/10/2010 07:22
244 exibições
Os preços praticados pelos laticínios de Santa Catarina na aquisição de leite cru estão em movimento de ascensão: em setembro foi reajustado em 2,3% e em outubro subiu mais 1,6%. O pecuarista está recebendo o valor bruto de R$ 0,5827 pelo litro de leite padrão na plataforma da indústria, com Funrural.

O preço está subindo em um período (primavera/verão) em que, tradicionalmente, os preços estão em baixa.

Isso porque a seca que atingiu Santa Catarina e várias regiões brasileiras reduziu a produção de leite, e a boa remuneração proporcionada pelo queijo tem desviado grandes volumes de leite para a linha de derivados.

A tabela de valores definidos neste mês pelo Conselho Paritário de Produtores e Indústrias de Santa Catarina (Conseleite) para o leite padrão e suas variações expressa o movimento de alta. Os valores finais de setembro registraram 2,3% de aumento e ficaram em R$ 0,6593 para o litro de leite acima do padrão, R$ 0,5733 para o leite-padrão e R$ 0,5212 para a matéria-prima abaixo do padrão. Os valores que o Conseleite projetou para outubro embutem mais 1,6% de realinhamento para cima: R$ 0,6701 para leite superior ao padrão, R$ 0,5827 para padrão e R$ 0,5297 para o abaixo do padrão.

Santa Catarina produz 1,9 bilhão de litros de leite.

Danone

A Danone Chile pretende duplicar a capacidade de sua planta em Chillán, sendo esse um dos planos mais importantes para os próximos cinco anos no mercado de lácteos chileno.

O gerente-geral da multinacional francesa, Luis Patrón Costas, explicou que, para aumentar sua produção de iogurtes e leite longa vida, investirão cerca de US$ 70 milhões a US$ 83 milhões entre 2011 e 2015.

Consolidando suas marcas, ele estimou vendas de US$ 83,92 milhões para 2010, valor similar ao de 2009. "Fomos a companhia mais afetada na indústria por ter nossa planta industrial no epicentro do terremoto", disse Costas. Porém, apesar dos danos provocados pelo terremoto, que significaram custos de US$ 15 milhões, a empresa tomou decisões importantes. A Danone Chile importou produtos da Argentina, o que permitiu permanecer no mercado local e, uma vez superada a emergência, recuperou sua presença. Contudo, o grupo, em cuja sociedade local participa o Bethia, com 10%, estima crescimento de 15% no faturamento de 2011.

A Danone participa no mercado chileno com sua marca Activia, que representa mais de 50% de seu faturamento. A Calán representa 40% do volume de vendas da companhia e a Parmalat, os 10% restantes.
Tags:
Fonte: DCI

Nenhum comentário