Preço do frango, no varejo, não acompanha altas da carne bovina

Publicado em 18/11/2010 07:40 296 exibições
Dados do Procon-SP apontam que na segunda semana de novembro o consumidor paulistano pagou pelo quilo da carne bovina de segunda R$10,64, enquanto o frango abatido foi vendido por, praticamente, um terço desse valor – R$3,83/kg.

Contrapostos aos preços médios registrados pelo mesmo Procon-SP em dezembro de 2009 – carne bovina de segunda, R$8,00/kg; frango abatido, R$3,43/kg – os preços mais recentes indicam que no ano a carne bovina de segunda aumentou 33% e o frango perto de 12% (índice de aumento correspondente a 40 centavos, contra R$2,64 da carne bovina, quase sete vezes mais).
Como se constata, o frango vem registrando evolução de preços ínfima frente aos aumentos da carne bovina. Mas esse comportamento não é novo. Assim, observados os preços médios do Procon-SP registrados no ano de 2007 – carne bovina de segunda, R$7,12/kg; frango, R$3,16/kg – chega-se a uma variação de praticamente 50% para a carne bovina e a pouco mais de 20% para a carne de frango.

Isso, em resumo, significa que, na aquisição, hoje, de um quilo de carne bovina de segunda o consumidor paulistano gasta R$3,52 a mais, enquanto o mesmo volume de carne de frango exige não mais que 67 centavos. Desde 2007, note-se. Além disso, o adicional agora necessário para um quilo de carne bovina (+R$3,52) equivale, quase, ao preço de um quilo de frango.

Naturalmente, ao registrar evolução de preços moderada, o frango cumpre importante função social. Mas os baixos valores que vêm sendo registrados equivalem, quase, a um ato de benemerência. Para comprovar estão aí (gráfico abaixo) os dados baseados nas informações do Procon-SP. Eles mostram, por exemplo, que apesar de estar enfrentando verdadeira explosão de preços da carne bovina (claro, por razões justificáveis), o consumidor vem pagando pelo frango menos do que pagava há pouco mais de um ano, entre junho e julho de 2009.

Tags:
Fonte:
AviSite

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário