Leite: Época de chuvas favorece aparecimento de doença que reduz produção, a mastite

Publicado em 24/01/2011 07:25 185 exibições
Esta época de chuvas constantes favorece o aparecimento da mastite, uma inflamação da glândula mamária das vacas leiteiras, que diminui a produção dos animais doentes.

Na Escola Agrícola de Jacareí o trabalho de ordenha há 18 vacas em lactação e onde há registro de casos de mastite no lugar. A doença é mais comum na época chuvosa porque o animal fica mais tempo em contato com a lama e com as vezes que se espalham na água. E é um ambiente propício para o surgimento da bactéria.

A mastite ou mamite, como também é conhecida, é uma infecção provocada por bactérias. Um dos principais sintomas é o inchaço do úbere e do teto. A vaca sente muita dor ao ser ordenhada.

Uma das maneiras para saber se a vaca está com mastite é fazer o teste da caneca, encontrada à venda no mercado. Ela tem uma tela escura na superfície. Antes de tirar o leite, é preciso ordenhar um pouco cada uma das tetas na caneca. Quando a vaca está livre da mamite a coloração do leite é normal. Quando a vaca tem a doença, aparecem grumos misturados ao leite.

“O mais importante para prevenir a doença é a higienização dos tetos pós-ordenha. Dentre as diversas ferramentas para o controle e prevenção da mastite, talvez essa seja a que cause mais impacto. Existem no mercado soluções de iodo e de cloro, por exemplo. Essa operação é feita após a ordenha. Tira o equipamento de ordenha. Então, faz-se a imersão dos tetos nessa solução. O teto fica marcado com a solução. É importante imergir ao menos ¾ do teto na solução. É importante que todo o teto fique desinfetado. Tem que deixar secar. A higienização também pode ser feita antes da ordenha com outro tipo de solução. Faz a secagem do teto e o acoplamento do equipamento de ordenha”, explicou o veterinário José Claudio Carvalho.

Tags:
Fonte:
Globo Rural

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário