Frango: Há espaço para ampliação das exportações para o Oriente Médio

Publicado em 01/03/2011 10:16 360 exibições
O Presidente Executivo da União Brasileira de Avicultura, Francisco Turra, o Diretor de Mercados, Ricardo Santin, coordenaram neste domingo (27), em Dubai (Emirados Árabes Unidos) encontro com executivos das agroindústrias brasileiras exportadoras de frangos. O encontro faz parte do conjunto de ações realizadas pela UBABEF durante a Gulfood 2011, mais importante evento voltado para alimentação no Oriente Médio.

Durante a reunião com os executivos, Turra apresentou um cenário geral de consumo e importação dos seis países da região – Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Kuwait, Iraque, Irã e Iêmen. Juntos, estes mercados importaram no ano passado 1,659 milhão de toneladas (dados da USDA), somando-se as vendas de Brasil, EUA e União Europeia.
Neste contexto, conforme explicou Turra, o Brasil é líder de vendas para o Oriente Médio, com exportação total de 1,174 milhão de toneladas no ano passado. Somente para a Arábia Saudita foram 551 mil toneladas, com mais de 80% do market share local. Índice semelhante foi obtido nos Emirados Árabes Unidos, onde o frango brasileiro representou 74% das importações deste país em 2010, com 208 mil toneladas. No Kuwait, o Brasil obteve participação ainda superior, com 91% das importações do frango “Made In Brazil”.
Também foi analisado o cenário conturbado em vários países do Oriente Médio, e a conclusão foi de que, em curto prazo, as próprias mudanças haverão de melhorar sensivelmente os negócios com o Brasil.

“O aumento expressivo do preço do petróleo é o fator que permitirá ao exportador de frango do Brasil impor reajuste de preço para compensar a fragilidade do dólar e a elevação dos custos dos insumos. A demanda por alimentos é cada vez mais e os estoques estão em níveis extremamente baixos”, ressalta Francisco Turra.
Apesar da já elevada participação brasileira entre os produtos avícolas importados pelos países da região, Turra destacou que ainda há espaço para a expansão dos negócios com o Oriente Médio.

“O Iraque é um exemplo de mercado a ser explorado. Em apenas quatro anos, o consumo per capta de frango no país quase dobrou, saltando de 9,8 quilos em 2007 para 17,9 quilos em 2010, com previsão de atingir 18,4 quilos neste ano”, ressaltou o presidente da UBABEF.

A Arábia Saudita, maior importadora mundial de frango brasileiro, também detém potencial de crescimento. “Nos últimos três anos, nossos embarques para a Arábia Saudita cresceram 150 mil toneladas. Neste mesmo período, o consumo per capta do país cresceu quase cinco quilos. Mantido este ritmo, temos uma excelente oportunidade de incremento nos resultados das exportações para o país em 2011”, destaca Turra.

Junto com os representantes da UBABEF e da agroindústria brasileira exportadora de frangos, participaram do encontro Wilson Arikita, presidente da Câmara de Mercado Externo da UBABEF, e Márcio Turra, suplente da Senadora gaúcha Ana Amélia Lemos.

Tags:
Fonte:
Ubabef

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário