Sistema Famato e Acrismat divulgam conjuntura do mercado de suíno em Mato Grosso

Publicado em 30/06/2011 08:03 257 exibições
Diante do embargo russo, a suinocultura de Mato Grosso vem enfrentando dificuldades nos últimos meses. Os produtores brasileiros tem sentido “na pele” os reflexos da medida que elevou os custos de produção e reduziu o preço da carne. Com o objetivo de conhecer melhor a atual situação do setor no estado, o Sistema Famato (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso) e a Acrismat (Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso) encomendaram um estudo ao Imea (Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária) que será divulgado nesta quinta-feira (30), às 14h, na sede da Famato.

O estudo traça um panorama sobre a atual conjuntura do mercado de suíno em Mato Grosso, abordando tópicos como a queda no volume das exportações, recuo do câmbio e o valor gerado pelas embarcações no período de janeiro a maio deste ano comparado ao mesmo período do ano anterior. Além dos custos de produção e relação de troca com os insumos, também serão informados a situação nos postos de trabalho, ameaças e ações para minimizar os impactos.

O Brasil é um dos principais fornecedores de carne àquele país. Envia 47% de sua carne bovina e 27% da suína. Da exportação mato-grossense de carne suína, 89% são destinados à Rússia.

A Famato é a entidade que reúne e representa os sindicatos rurais de todo Estado. Sua estrutura administrativa inclui ainda o Imea e o Senar-MT (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso). Esse conjunto de entidades constitui o Sistema Famato.

Tags:
Fonte:
O Documento

0 comentário