Arroz: Leilão de Recompra de Opções desta quinta negocia 48% da oferta

Publicado em 12/01/2012 12:06 e atualizado em 12/01/2012 13:20 577 exibições
O último leilão de recompra de contratos de opção de venda de arroz realizado, hoje, 12 de janeiro, pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) ofertou 7.408 contratos, ou o correspondente a 200 mil toneladas, sendo 191,9 mil do Rio Grande do Sul e o restante de Santa Catarina.

Foram negociados 3.354 contratos no Rio Grande do Sul, ou o correspondente a 90,5 mil toneladas, correspondendo a 47,18% da oferta e com todos os lotes pelo prêmio de abertura, R$. 2.041,2 por contrato ou 3,78 por saco. Considerando os lotes ofertados em Santa Catarina a demanda correspondeu a 48,87% dos contratos ofertados.

A recompra constitui-se em uma subvenção econômica concedida pelo Governo, com o objetivo de equalizar os preços de exercícios das opções de venda lançadas pelo Governo e os preços praticados no mercado, desonerando o Governo da obrigação de adquirir o produto e conseqüentemente, do produtor, entregá-lo ao governo. O titular do contrato de opção de venda, ao arrematar o prêmio e cumprir com todas as exigências do edital, receberá o valor da subvenção econômica objeto do leilão e perderá o direito de exercer a opção de venda originalmente contratada, cujo prazo final, para a entrega da documentação e do produto expirará no próximo dia 15 de janeiro de 2012.

O resultado contrasta com o alcançado no leilão realizado na semana passada, quando foram negociados 92,23%, dos lotes ofertados (3.530 contratos) no Rio Grande do Sul, sendo que em alguns deles, muito disputados, o deságio (redução nominal do valor inicial do prêmio) chegou a superar a R$ 3,00 reais, ou menos de 20% do prêmio de abertura (R$ 0,735 no fechamento).

O resultado do leilão foi justificado, pelo aumento da oferta, pois foi duplicada em relação ao leilão anterior, a disposição do produtor em entregar o produto ao governo em razão dos preços bem mais atrativos que o mercado hoje remunera e também, em razão dos baixos preços praticados ao longo do ano safra determinou que produtores realizassem a venda no mercado físico, e conseqüentemente, a sua opção de venda acabou virando pó.

As opções públicas que venceram em dezembro, do total de 450 mil toneladas negociadas no RS, aproximadamente: 150 mil toneladas foram exercidas (entregues ao governo), 150 mil renegociadas através de recompra ou repasse e o saldo de 150 mil toneladas virou pó, ou seja, o produtor não renegociou e nem entregou ao governo, ou por falta de armazém credenciado ou a necessidade de liquidez o obrigou a negociar o produto no mercado físico, a preços bem abaixo do previsto nas opções.

Para osg vencimentos em janeiro, o volume de opções negociadas corresponde a 436 mil toneladas para o Rio Grande do Sul, sendo que 178 mil toneladas foram negociadas através dos dois leilões de recompra. O saldo, aproximado, de 250 mil toneladas é o volume máximo, que poderá ser exercido ou entregue ao Governo Federal, desde que satisfeitas às condições dos editais.

Tags:
Fonte:
Marco Aurélio Tavares

0 comentário