Chuvas preocupam produtores de feijão e preços aumentam em GO

Publicado em 13/01/2012 13:27 918 exibições
O setor agrícola em Goiás já começa a sentir os primeiros efeitos das fortes chuvas que tem atingido o Estado nos últimos dias. A preocupação maior é com a cultura de feijão. As condições climáticas do Brasil refletem nos preços da cultura, já que o mercado de comoditeis agrícola é integrado. A escassez água na região Sul do País e o excesso de chuvas no Centro-Oeste prejudicam a produtividade do grão.

Para o produtor, a saca de 60 quilos de feijão está sendo comprada por R$ 124. Há 20 dias esse valor era em torno de R$ 90. Um levantamento informal mostra que o consumidor está pagando cerca de 20% a mais pelo produto das gôndolas dos supermercados, principalmente para o grão do tipo carioca. Em Goiás, a região do Entorno do Distrito Federal é a maior produtora de feijão. Segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), ao todo, o Estado produz 245 mil toneladas do produto. São 103 mil hectares de área plantada com feijão de todos os tipos.

Se as chuvas continuarem nos próximos 10 dias, mais prejuízos devem ser registrados. Outra preocupação é com a soja, que corresponde com mais de 50% da produção agrícola do Estado, representando mais de 8 milhões de toneladas. Segundo o assessor técnico da Federação da Agricultura de Goiás (Faeg) para a área de cereais, fibras e oleaginosas, Leonardo Machado, a colheita da soja em Goiás começa nos meses de fevereiro e março. “Se na ocasião ainda estiver chovendo nessa mesma intensidade, o produtor não irá conseguir fazer a colheita do grão que poderá perder qualidade e produtividade se permanecer por muito tempo plantado esperando o período de estiagem para ser colhido”, alerta.

Mas há uma boa notícia, pelo menos para este final de semana. A zona de convergência do Atlântico Sul começa a perder intensidade e a previsão do Sistema de Meteorologia para os próximos dois dias é de diminuição da chuva em todo o Estado.

Tags:
Fonte:
Faeg

0 comentário