Cultivo de trigo é incentivado em Minas Gerais

Publicado em 17/01/2012 08:04 452 exibições
Incentivar a cultura do trigo em Minas Gerais, aproveitando o potencial agrícola das regiões do Cerrado, e reduzir a dependência que o país tem das importações, atualmente em torno de 60% do trigo consumido. Este foco vem norteando as ações do Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Trigo (Comtrigo). Para a safra 2011/2012, a previsão é de uma produção em Minas de 90,1 mil toneladas de trigo. Um crescimento de 5,7% em relação ao ano passado, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Já a safra brasileira, deve registrar uma queda de 1,6%.

Segundo o coordenador do Comtrigo, Lindomar Antônio Lopes, o decreto estadual que oficializou o programa em 2011 amplia as condições para a realização de parcerias entre as instituições públicas e privadas com o objetivo de desenvolver trabalhos de apoio à cadeia do trigo no Estado. Outro passo no sentido de consolidar a triticultura em Minas foi a assinatura de um termo de cooperação técnica entre a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa) e sua vinculada, Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) com a Embrapa Trigo para a instalação do Núcleo Avançado de Pesquisa de Trigo Tropical.

De acordo com o coordenador, o núcleo já está em fase de implantação no município de Uberaba, e tem por objetivo desenvolver cultivares e sementes adequadas às condições climáticas e de solo para o plantio no Cerrado, estudar tecnologias para a condução da lavoura, além de fornecer todo o suporte técnico necessário à expansão do trigo como mais uma opção agrícola para o produtor mineiro.

O centro de pesquisa será o primeiro localizado fora da região Sul do país, onde estão concentrados os principais Estados produtores do grão. Sua implantação é a continuação das ações que vêm sendo executadas pela câmara setorial de culturas de inverno do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, visando à criação de um polo de produção da cultura nos Estados do Brasil Central, abrangendo as regiões de Cerrado do Distrito Federal e dos Estados de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Tocantins).

A proposta deste trabalho é romper com um paradoxo em relação à cultura no país. “Temos todas as condições de ser um celeiro produtor de trigo, que é o segundo cereal mais consumido no mundo, mas apesar do cenário favorável, o Brasil é um dos maiores importadores”, afirma Lindomar Lopes.

Trigo em Minas

O consumo estadual de trigo está estimado em 900 mil toneladas ao ano, cerca de cerca de dez vezes mais que a produção a ser colhida nesta safra. Apesar dos números, a cultura apresenta viabilidade técnica, econômica e competitividade para se expandir no Estado. “Em Minas, o trigo é cultura de inverno, plantado antes das culturas tradicionais de verão (milho e soja). Então, ele vem se tornando uma excelente alternativa para a rotação de culturas, porque é plantado no intervalo”, explica o coordenador.

Outro ponto que favorece a produção mineira é que o Estado é privilegiado em termos de comercialização, pois o trigo é colhido na entressafra brasileira e argentina, encontrando um mercado comprador com preços mais competitivos. A proximadade aos principais centros consumidores também é um facilitador, tornando a logística mais barata para a cadeia produtiva.

O Alto Paranaíba, o Triângulo e o Noroeste mineiros são as principais regiões produtoras do Estado, com uma produtividade em torno de 3 mil quilos por hectare para o trigo de sequeiro, enquanto a produtividade nacional está em torno de 2,7 mil quilos por hectare. Segundo Lindomar Antônio Lopes, as demais regiões do Estado também têm condições de desenvolver a cultura irrigada, quando é possível alcançar produtividade em torno de 6 mil quilos por hectare.

Tags:
Fonte:
Sec. Agricultura - MG

0 comentário