Conab: Safra de grãos em 196,7 mi de t; café pode chegar a 50,15 mi de sacas

Publicado em 09/01/2014 08:14 e atualizado em 09/01/2014 10:28 684 exibições

O Brasil deverá registrar uma produção de grãos de 196,7 milhões de toneladas. Esta é a previsão do quarto Levantamento de Grãos da Safra 2013/2014, divulgado nesta quarta-feira (09) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O volume apresenta um aumento de 5,2% em relação à safra passada, de 186,9 milhões de toneladas.

Neste levantamento, o destaque foi para a soja, que teve um crescimento de 10,8%, o que representa uma produção estimada em 90,3 milhões de toneladas para a safra atual. O arroz acompanhou o comportamento de alta com um aumento de 5,1%, chegando a 12,4 milhões de toneladas. O feijão primeira safra também se destaca, com uma elevação de 35,6% na produção, passando de 964,6 mil para 1,3 milhão de toneladas. Essa cultura já está em fase de colheita no Paraná.

Já o milho primeira safra, 2ª maior cultura produzida no Brasil, apresentou um decréscimo de 5,9%. A queda prevista, segundo a Gerência de Avaliação de Safras da Conab, se deve à redução de plantio do grão em virtude dos preços mais favoráveis para o plantio de soja.

Área – A área total destinada ao plantio da safra deve chegar a 55,39 milhões de hectares, o que representa uma alta de 4% em relação à área de 53,27 milhões de hectares plantada em 2012/2013.

A cultura de soja apresentou o maior crescimento em relação à área plantada, com aumento de 6,6%, passando de 27,7 para 29,6 milhões de hectares. Outras culturas também apresentaram elevação em relação à área, como o arroz, feijão e algodão. Por sua vez, o milho primeira safra apresentou decréscimo de área de 4,7%, passando de 6,8 para 6,5 milhões de hectares.

Os estudos para este levantamento de safra foram realizados nas principais regiões produtoras de grãos do país no período de 15 a 18 de dezembro.

Safra de café em 2014 estima produção entre 46,53 a 50,15 milhões de sacas

Neste ano, a produção nacional de café (arábica e conilon) deve ficar entre 46,53 a 50,15 milhões de sacas de 60 quilos do produto beneficiado.  É o que aponta o 1º levantamento da safra 2014, realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e divulgado nesta quarta-feira (9/1), em Brasília. O resultado pode representar entre 5,4% de redução até 2% de crescimento, se comparado aos 49,15 milhões da safra anterior, considerados arábica e conilon.

A maior redução foi observada no café arábica, que registra queda entre 2% a 8,4%. A diminuição pode ser observada devido a uma menor área plantada, reflexo do preço da cultura para o produtor, além da inversão da bienalidade em algumas regiões, como na Zona da Mata mineira, como também a adversidades climáticas, como a geada que atingiu o Paraná em 2013.

Já o conilon apresentou aumento entre 5,5% e 16,2% em função da recuperação da produtividade, devido à forte estiagem ocorrida no Espírito Santo na safra anterior.

Estimada entre 35,08 e 37,53 milhões de sacas, a produção de café arábica corresponde a 75,1% do volume de café produzido no país, e tem como maior produtor o estado de Minas Gerais, com o volume variando entre 25,6 a 27,1 milhões de sacas. Já a produção do conilon, contabilizada entre 11,5 e 12,6 milhões de sacas, representa 24,9% do total nacional e tem como maior produtor o Espírito Santo, com uma produção entre 8,6 a 9,5 milhões de sacas.

Área – No país, o plantio do café deverá ocupar uma área total de 1,96 milhões de hectares, 3% inferior à safra passada, com uma redução de 61,04 mil hectares. Minas Gerais concentra a maior área plantada, com 1,01 milhão de hectares, predominando a espécie arábica, com 98,9% do total estadual, o que representa 54,3% da área cultivada no país. A segunda maior participação é do Espírito Santo, com 448,20 mil hectares de café, sendo o este estado o principal produtor de café conilon, com uma área de 285,15 mil hectares. 

Tags:
Fonte:
Conab

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário