Trigo: Reunião em Brasília deve decidir prêmios para leilões de Pepro ainda nesta terça-feira (23)

Publicado em 23/09/2014 17:26 347 exibições

Foram confirmados os leilões de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro) e as Aquisições do Governo Federal (AGF) para o trigo do Paraná. Há meses o estado do Paraná e Rio Grande do Sul enfrentam problemas na comercialização, com preços abaixo dos mínimos estipulados pelo Governo Federal. Segundo o Ministro da Agricultura, Neri Gueller, a medida ainda servirá apenas para o Paraná pelo bom andamento da colheita, que já atinge 40%. Serão destinados R$ 150 milhões para o Pepro e R$ 200 milhões para AGF.

Os detalhes da medida serão decididos nesta terça-feira (23) em uma reunião em Brasília (DF) com entidades do setor. Nesta reunião, deverão ser decididos quais serão os valores dos prêmios, além de datas. O analista de mercado, Élcio Bento, estima que os prêmios devam ficar entre R$ 150 e R$ 180 por tonelada, um valor suficiente para retirar cerca de 833 mil toneladas do mercado.

Bento explica que com os prêmios por volta dos R$ 180 por tonelada e com o dólar nos atuais patamares, o trigo passaria a ser negociado a U$ 200 nos portos, próximo aos valores praticados no mercado internacional.  Já o AGF de R$ 200 milhões, conseguiria retirar do mercado cerca de 360 mil toneladas, um total de 1,2 milhão de toneladas com os subsídios.

Para Bento essa quantidade é insuficiente para o tamanho dos estoques atuais. A expectativa é de que a safra brasileira atinja 7,845 milhões de toneladas, que junto com os 5,5 milhões de toneladas proveniente de importações, a oferta passa a ser de 13,3 milhões de toneladas.  Por isso, o ideal é de que os incentivos do Governo Federal retirasse pelo menos 1,7 milhões de toneladas do mercado, 500 mil toneladas a menos do que os calculados pelo analista.

Com o anúncio realizado, o mercado está estagnado e quase não há negociações. Os produtores aguardam os prêmios, já que os preços no Paraná estão por volta de R$ 530 por tonelada, enquanto os valores mínimos R$ 557/t. Já a indústria também aguarda para negociar, pois já estão abastecidos. 

Tags:
Por:
Sandy Quintans
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário