Conab: Leilões PEP e Pepro devem incentivar preço do trigo na Região Sul

Publicado em 02/12/2016 11:57
498 exibições

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) realizou hoje duas operações de subvenção (Avisos 221 e 222) para incentivar a equalização de preços de 215 mil toneladas de trigo produzido nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O incentivo foi solicitado pelo setor, pois o trigo em grãos da safra 2016/2017 vem sendo  comercializado na Região Sul, a preços abaixo do mínimo fixado pelo governo federal, de R$ 0,6442 o quilo. Novos leilões de mais 285 mil toneladas do produto estão previstos para o próximo dia 9.

No leilão de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro), foi negociada subvenção para 86% ou 92,5 mil das 107,5 mil toneladas previstas. Na operação de  Prêmio para Escoamento de Produto (PEP), a negociação atingiu apenas 34,2% (36,7 mil t)  das 107,5 mil toneladas previstas.

O prêmio PEP é um incentivo econômico oferecido a quem adquirir o produto de cooperativa ou produtor e escoá-lo para uma região definida, enquanto que o Pepro é destinado somente a produtor ou cooperativa que se disponha a vender a sua mercadoria (no caso o trigo) pela diferença entre o preço mínimo e o de referência definido pelo governo, com o dever também de escoá-lo de acordo com o edital.

As últimas operações de subvenção realizadas pelo governo federal haviam sido realizadas em 2013 (PEP de laranja) e em 2015 (Pepro de borracha).

Rio Grande do Sul comercializa 63,86 mil toneladas de trigo em leilão

O primeiro leilão de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro) e Prêmio para Escoamento do Produto (PEP) para apoiar a comercialização de trigo da safra 2016/2017, foram realizados nesta sexta-feira, 2 de dezembro. No Pepro, foram negociados 92,57 mil toneladas do cereal das 107,5 mil toneladas disponíveis. Do Rio Grande do Sul, foram 42,26 mil toneladas de um total de 50 mil toneladas colocadas em oferta, ou seja, vendidas 84,53% do total. Já no PEP, com a mesma quantidade, ofertada do Pepro, foram vendidas apenas 36,79 mil toneladas, ou seja 34,22%. Dos produtores gaúchos foram 21,6 mil toneladas de 50 mil toneladas disponíveis, representando 43,2% do total colocado à venda, fechando em 63,86 mil toneladas nos dois mecanismos.

O presidente da Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado do Rio Grande do Sul (FecoAgro/RS), Paulo Pires, afirma que, o prêmio, que é a subvenção paga pelo governo para garantir o preço mínimo ao produtor, iniciado em R$ 183,00 a tonelada, fechou em R$ 109,80 a tonelada, no Pepro. O dirigente salienta que isto se deve a grande procura pelo mecanismo. Já no PEP, a avaliação é de que a não participação de tradings importantes do mercado fizeram com que a procura fosse baixa, mas as mesmas devem entrar nos próximos certames.

Pires reforça que a FecoAgro/RS vai fazer o pedido para que nos próximos leilões o volume de trigo ofertado tanto para o Pepro quanto para o PEP dobre para o Rio Grande do Sul, passando de 50 mil toneladas para 100 mil toneladas. Outro pedido será o aumento do valor do prêmio. "É um pedido técnico e esperamos chegar a um valor de R$ 200,00 ou próximo disto. Ainda não é o ideal, mas poderá trazer um conforto maior para as cooperativas", justifica. 

O Ministério da Agricultura já programou dois próximos leilões na sexta-feira da próxima semana, dia 9 de dezembro, e também na outra semana, dia 16 de dezembro.

Tags:
Fonte:
FecoAgro RS + Conab

1 comentário

  • Dionatan Vitali Getúlio Vargas - RS

    R$ 38,65 é posto no porto, desconta-se o frete e aí temos o grande incentivo!

    0
    • beto palotina - PR

      Pergunta pro agricultor mais velho q sr. Conhece que dia algum governo ajudo agricultura

      0