Fotos do ProFarmer Crop Tour mostram o crítico desenvolvimento da safra dos EUA

Publicado em 20/08/2019 16:44
7719 exibições

LOGO nalogo

Nesta semana, todos os olhos do mercado internacional de grãos estão voltados para o tradicional ProFarmer Midwest Crop Tour, um dos mais antigos tours de safra dos EUA, conhecido por trazer números bem próximos da realidade das lavouras norte-americanas. E como já era de se esperar, nas primeiras paradas feitas pela equipe já puderam ser verificados problemas sérios de maturação e desenvolvimento dos campos Corn Belt a fora, além de grandes extensões de área que não foram plantadas.

Esta terça-feira, 20 de agosto, é o segundo dia do tour e os estados avaliados são Indiana e Illinois, com algumas paradas no Nebraska. Embora as médias de contagem de vagens na soja e do rendimento do milho ainda não tenham sido divulgadas até o fechamento desta reportagem, algumas fotos prévias mostram que os problemas são sérios. 

As primeiras imagens mostram espigas de milho mal formadas na porção oeste de Indiana. "Continuamos a encontrar problemas de maturidade no oeste de Indiana. A safra está mais adiantada do que em Ohio, mas precisará de tempo para terminar", relata Clinton Griffiths âncora do AgDay.

Indiana 1

Indiana 1

Indiana 1

O editor do ProFarmer, Brian Grete, já relata também que a contagem de vagens de soja em Indiana foi "decepcionante". E o que mais espera ver, junto de sua equipe é, de fato, uma safra desuniforme, com problemas sérios de desenvolvimento. 

"Provavelmente vamos ver buracos nos campos. Então, quando você está a campo, não sabe exatamente onde vai dar, podemos acabar em um buraco. O que nos dará uma amostra baixa ou até amostra nenhuma caso você esteja em um buraco completo”, explica Grete, como mostra uma nota do ProFarmer. 

Já nas fotos a seguir, os condados de Hall, Adams e Webster, no Nebraska. Por lá, a média esperada para a produtividade do milho, segundo a colunista da Reuters Internacional, Karen Braun, é de 152,72 sacas por hectare (146 bushels por acre). 

Nebraska 1

Nas mesmas paradas, a especialista relatou ainda uma contagem de vagens melhor do que a do ano passado, com exceção da última imagem, onde foram registrados problemas por conta da seca. 

Nebraska 1

As imagens abaixo mostram também o estado de Nebraska, porém, nos condados de Nuckolls, Thayer e Fillmore Ctys. Por lá, a produtividade média do milho é esperada em 171,87 sacas por hectare (164,3 bushels por acre). 

Nebraska 2

A média da contagem de vagens ficou em 1080 em um espaço de um metro quadrado, contra 1296 de 2018 e 1188 de média dos últimos anos para a região. 

Nebraska 2

DIA 1 - OHIO E DAKOTA DO SUL

Nesta segunda-feira (19), o ProFarmer trouxe os dados finalizados para os estados de Ohio e Dakota do Sul. 
No primeiro, o rendimento médio esperado para o milho foi de 161,46 sacas por hectare (154,5 bushels por acre) e 764,01 vagens por metro quadrado. Em 2018 eram 187,84 sacas por hectare (179,57 bpa) e média dos últimos três anos de 171,95 scs/ha (164,38 bpa). A estimativa do USDA para este ano, em Ohio, é de 167,37 sacas por hectare (160 bpa). E a safra 2018 se encerrou com uma produtividade média no estado de 195,61 sacas por hectare (160 bpa). 

Ohio 1

Ohio 1

Ohio 1

Fotos: Brian Grete, editor do ProFarmer

Ohio campo vazio

"Muito disso deverá ser observado no Noroeste de Ohio"
Foto de Doug Warters, mostrando uma longa extensão de área sem plantio

A contagem de vagens ficou em 764,01 por metro quadrado, contra 1248,2 da média de 2018 e abaixo ainda das 1136,75 da média das últimas três safras. O USDA estima que a produtividade no estado seja de 53,79 sacas por hectare (48 bushels por acre). 

Na Dakota do Sul, a média esperada para a produtividade do milho é de 161,18 sacas por hectare (154,08 bushels por acre), contra 186,21 sacas de 2018 (178,01 bushels). A média das últimas três temporadas é de 165,89 sacas por hectare e a estimativa do USDA é de 164,23 sacas para o estado (respectivamente 158,59 e 157 bushels por acre).

Na contagem de vagens a média deste ano ficou em 832,85 por metro quadrado, contra 1024,72 do ano anterior e frente as 964,96 de média das últimas três safras. O USDA estima o rendimento da soja em 50,43 sacas por hectare, contra 51,55 sacas do número final de 2018. 

USDA

Em seu boletim semanal de acompanhamento de safras divulgado nesta segunda-feira, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) trouxe uma baixa de 1% no índice de lavouras de soja e milho em boas ou excelentes condições para 53% e 56%, respectivamente. 

Segundo explica o especialista americano Michael Cordonnier, a maior parte da 'piora' dos campos pôde ser registrada, no caso do milho, nas regiões leste e oeste do Corn Belt, com a piores classifcações sendo nos estado de Indiana, Ohio, Missouri, Carolina do Norte e Michigan. 

Já sobre a soja, o phD em agronomia explica que os prolemas mais sérios estão localizados nos estados mais ao Sul do cinturão, e que as piores classificações das lavouras são as de Ohio, Indiana, Michigan, Illinois e Missouri.

Em ambos os casos, tais condições têm sido confirmadas pelas primeiras informações que chegam do ProFarmer. 

Tags:
Por: Carla Mendes | Instagram @jornalistadasoja
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • SERGIO BOFF São João - PR

    Milho, pelo pouco que entendo, 120 sacas por alqueire, soja 80, bah!!!.

    5