Pesquisadores do Grupo ESALQ-LOG desenvolvem estudos sobre a movimentação de grãos no Paraná

Publicado em 09/03/2020 08:44
80 exibições

Os pesquisadores do Grupo ESALQ-LOG, Fernando Pauli de Bastiani e Pedro Vitor Bottan, desenvolveram um estudo a respeito dos valores de frete de soja no estado do Paraná e os fatores que influenciaram os preços finais do transporte.

A pesquisa destaca as principais mudanças observadas no mês de fevereiro, em comparação ao que foi realizado em janeiro. 

"O valor do frete para a exportação soja no estado do Paraná, no mês de fevereiro, sofreu um aumento médio de 34% em relação ao mês de janeiro. O principal motivo para o aumento dos fretes foi o avanço da colheita no Paraná, estado que menos sofreu com a falta de chuvas na região sul, e, com isto, conseguiu seguir o planejamento da safra de maneira mais efetiva.  Segundo dados da Celeres, empresa de consultoria focada na análise do agronegócio, a colheita do grão no estado saltou de 6% no início do mês para 40% de toda a área plantada.

Outro fator foi o aumento das exportações de soja, sendo que o estado atingiu mais de 675 mil toneladas em fevereiro, ante 382 mil em janeiro. No Brasil, o volume exportado no mês em questão foi de 6,207 milhões de toneladas. Sendo assim, o Paraná representou 10% das exportações de soja do país.

No final do mês, o período de chuvas no porto de Paranaguá também resultou em dificuldades na operação de carregamento dos navios, o que gerou atrasos no agendamento de descarga rodoviária nos principais terminais do porto, custos adicionais de estadia e aumento no ciclo de transporte.

Todos esses fatores contribuíram para que a quantidade de veículos para o transporte da soja no estado fosse insuficiente ao longo de todo mês, além da competição com fretes mais atrativos na região centro-oeste, que atingiu seu pico na primeira quinzena do mês. Deste modo, as traders foram pressionadas a aumentar significativamente o valor do frete para atender a demanda por transporte.

A região oeste do estado foi a que mais sofreu com o aumento do frete. O preço do transporte do munícipio de Cascavel (PR), segundo maior produtor de soja do estado, para o porto de Paranaguá, saltou de R$ 79,80 em janeiro para R$ 122,78 em fevereiro, representando um aumento de 54%. Na figura abaixo é possível observar os municípios considerados na análise e as respectivas variações de fretes."

esalq movimentação de grãos paraná pesquisa

Tags:
Fonte:
Esalq

0 comentário