Qualidade do arroz produzido em Mato Grosso melhora, aponta pesquisador

Publicado em 03/08/2010 11:51 511 exibições
Com objetivo de incrementar a cadeia produtiva do arroz em Mato Grosso, gestores do projeto de Pesquisa e Desenvolvimento de Tecnologia para Rizicultura de Terras Altas no Estado realizaram uma reunião para discutir os principais problemas e apresentar trabalhos que estão sendo executados.

 Os principais temas tratados foram a sustentabilidade da cultura do arroz com a intenção de assegurar a oferta de grãos em quantidade e qualidade compatíveis com as exigências de mercado.

Estavam presentes produtores de arroz, empresários da indústria do setor, assistentes técnicos, representantes de instituições públicas e de organizações ligadas à produção do arroz e pesquisadores. O evento foi realizado no auditório da Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt).

O pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Arroz e Feijão, Carlos Magri Ferreira, que apresentou a palestra "Arroz de Mato Grosso: um exemplo de sustentabilidade", diz que há um estigma de que no Brasil o arroz é uma cultura secundária. Contudo, mas há levantamentos de que é possível trabalhar a rizicultura de forma sustentável. Em Mato Grosso, inclusive, há uma diminuição na quantidade de arroz produzido, mas a qualidade melhorou.

Ele explica que os municípios do Vale do Araguaia e da região Sul Estado estão produzindo arroz de alta qualidade, porém acabam comercializando a maior parte do produto para estados vizinhos, como Goiás. "Há pesquisas que informam que 49% das pessoas compram arroz pela marca comercial e, como a maioria do produto vendido aqui sempre veio de estados da região Sul do país, as marcas do arroz produzido no Estado acabam não sendo prestigiadas". Magri diz que a produção de arroz em Mato Grosso ainda é instável e que o produtor rural do Estado tem que ser convencido de que hoje a qualidade do produto plantado aqui é boa e que ele tem que plantar mais.

O Brasil tem a primazia de produzir arroz em escala comercial em dois agrossistemas várzea e terras altas. Em função de algumas características, a planta do arroz tem melhor desenvolvimento e potencial produtivo em sistemas em que o solo permanece úmido. Dessa forma, o arroz produzido nas várzeas até pouco tempo tinha a preferência. Atualmente, os grãos de arroz produzidos em terras altas praticamente se igualaram aos de várzeas em relação aos aspectos qualitativos. Assim, os preços de ambos têm sido similares. Motivo pelo qual o cultivo de arroz em Mato Grosso passou a ser bastante viável de uns tempos para cá.

Tags:
Fonte:
A Gazeta

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário