Irga realiza reunião do Conselho Regional em Uruguaiana

Publicado em 02/12/2010 14:40 178 exibições
O Conselho Regional do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) se reuniu, nesta quinta-feira (2), no Sindicato Rural de Uruguaiana. O conselheiro representante do município, Valter Arns, abriu a reunião destacando que o Irga vive um momento histórico, onde os produtores podem eleger o presidente da autarquia. “Pela primeira vez, os arrozeiros irão escolher quem vai dirigir o Instituto”, destacou. O encontro abordou o relato das ações da gestão, o acompanhamento da safra 2010/11, o andamento do Programa Renda, o mercado e a comercialização.

O presidente do Irga, Maurício Fischer, falou sobre a construção das novas casas de arrozeiros feitas, em parceira com Sindicatos Rurais e Prefeituras, por meio de comodato ou doação. Os municípios de São Borja e Alegrete poderão ganhar um novo escritório para atender produtores da região. O objetivo é ter um local reconhecido e de referência para os orizicultores. “A gestão conta com a construção de 10 casas, sendo 8 licitadas e duas já construídas no Estado”, afirmou.

Sobre o Programa Renda, Fischer destacou as principais demandas do setor, como o investimento em cursos de capacitação em gestão de custos de produção, de tecnologia, de crédito, de compra e venda, qualificação de mão-de-obra, certificação e capacitação. A armazenagem também foi assunto discutido entre os participantes, assim como estoques de arroz e capacidade.

O diretor técnico do Irga, Valmir Menezes, apresentou a evolução da semeadura na Fronteira Oeste e no Estado. Menezes explicou que a maior produtividade da região deve-se ao alto potencial de luminosidade. “Em ano de La Niña a produtividade tende a ser maior e a Fronteira Oeste se beneficia ainda mais com a intensa luminosidade que é característica própria da região neste período”, enfatizou. A expectativa de produtividade média na região é de no mínimo oito toneladas por hectare. O diretor alertou aos produtores para economizarem água para o alcance de um manejo de irrigação adequado. O alerta também foi para a incidência de insetos em lavouras secas, principalmente com a lagarta da panícula.

O cenário e as expectativas do mercado na próxima safra foram apresentados pelo diretor comercial do Irga, Rubens Silveira, que também falou sobre as dificuldades enfrentadas pelo setor, como o abastecimento de arroz nos demais Estados brasileiros, e a baixa competitividade com o produto uruguaio e argentino. Silveira salientou que as dificuldades com o câmbio afetam a competitividade, já que o quadro de oferta e demanda da Conab indica 2 milhões de toneladas para a exportação. “Os preços tendem a ser balizados pela paridade de exportação”, afirmou.

Os conselheiros da Fronteira Oeste foram convidados pela diretoria do Irga para participar da próxima reunião do Conselho Deliberativo que será realizada, a partir das 9 horas, dia 15 de dezembro, na Estação Experimental do Arroz, em Cachoeirinha.

Tags:
Fonte:
Irga

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário