Ruralistas negociam mais verba ao arroz

Publicado em 17/02/2011 08:23 232 exibições
Faltando dez dias para a abertura da colheita 2010/2011, em Camaquã, o arrozeiro vive momento conturbado. Com previsão de protestos e cotação da saca por até R$ 18,00 contra preços mínimos entre R$ 23,00 e R$ 28,00, o setor conta com o apoio da bancada ruralista para tentar convencer o ministro Wagner Rossi e a área econômica sobre a necessidade de ampliar a oferta de PEP e AGF e lançar opções públicas e privadas. Até agora, o governo anunciou R$ 313 milhões para o arroz. A realização de leilões de PEP da nova safra depende de portaria interministerial. O texto deve sair até segunda-feira, entretanto pode não bastar.

Segundo o deputado Luis Carlos Heinze, que ontem (16) esteve com Rossi acompanhado por parlamentares e pela senadora Ana Amélia Lemos, os mecanismos anunciados são insuficientes frente à expectativa de safra de 9 milhões de t, sobra de 2 milhões de t. Rossi foi cauteloso e informou que estuda propostas em conjunto com a Fazenda.

Tags:
Fonte:
Correio do Povo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário