Farinha: Aumentos bem comportados e aumentos mal comportados no pãozinho

Publicado em 22/07/2011 09:11 384 exibições
O banco de dados da Consultoria Trigo&Farinhas é riquíssimo e permite estudos do comportamento do mercado em várias direções. Em uma delas, utilizando os mesmos denominadores comuns, isto é todos os preços por quilo e mantendo os preços nominais para todos, comparamos os aumentos do preço das farinhas especiais em cinco capitais brasileiras e o aumento do preço do pãozinho nas mesmas praças e chegamos a conclusões interessantes: Curitiba é a cidade com os aumentos mais descontrolados no período analisado dos últimos 12 meses: enquanto o preço da farinha caía 17,61%, o preço do pãozinho subia 8,28% no mesmo período, o que significa um aumento nominal de 25,89%. Já São Paulo, enquanto o preço da farinha subia apenas 3,12%, o preço do pãozinho subia 8,55%, quase três vezes mais. Já em Belo Horizonte tivemos aumentos comportados: enquanto o preço da farinha especial subia 8,36%, o preço do pãozinho subiu apenas 6,09%. No Rio de Janeiro, a mesma coisa: enquanto o preço da farinha subiu 21,16%, o preço do pãozinho subiu apenas a metade, 11,66%. Em Porto Alegre também tivemos aumentos comportados, com o preço da farinha subindo 9,37% e o preço do pãozinho 7,31%.

Por que em algumas praças os aumentos foram repassados integralmente e em outras foram absorvidos pelas padarias? Esta poderia ser uma boa sugestão de tese de mestrado. Mesmo deflacionando os preços ou aplicando modelos lineares pelo método dos mínimos quadrados ordinários, a conclusão não mudaria significativamente.

Tags:
Fonte:
Trigo & Farinhas

0 comentário