Brasil: aumento de produção de trigo serve apenas para aumentar a exportação

Publicado em 23/08/2011 08:06 345 exibições
Um cliente nos encomendou uma consultoria, nesta segunda-feira. Precisa de dados históricos e organográficos da Cadeia do Trigo para justificar projetos de expansão do Grupo. Isto nos deu ocasião para nos debruçarmos sobre os números do quadro de Oferta & Demanda do trigo nos últimos anos.

O que nos chamou atenção foi o desempenho dos últimos 10 anos: neste período a oferta cresceu 65,39%, passando de 3.194,2 mil toneladas (safra 2001/02) para 5.283,2 (previsão da safra 2011/12). A importação diminuiu 16,26%, passando de 7.045,7 mil toneladas para uma estimativa de 5.900 mil toneladas na safra 2011/12; a demanda interna cresceu apenas 2,4% no período entre 2001 e 2011, passando de 10.182,2 mil toneladas para 10.432 mil toneladas em dez anos; a exportação cresceu 37.400%, passando de 2,4 mil toneladas para 900 mil toneladas (deixamos de fora as 2,4 milhões de toneladas exportadas em 2010/11 porque foi excepcional e porque estamos considerando apenas os extremos do período).
Qual a análise que se pode fazer destes números?

Se o grande esforço é para aumentar a produção afim de substituir as importações, ele não foi atingido em 10 anos. A diferença caiu apenas 16,26%, o que é pouco. A principal razão é que não havia junção de objetivos das exigências do governo (que financiava qualquer qualidade) e das necessidades da indústria (que sempre teve exigências muito específicas e não era atendida pelos triticultores). Com a junção destes esforços, determinada em 2010 para entrar em vigor em 2012/15, em que o governo só financiará trigos adequados para a utilização pela indústria nacional, temos certeza, que este processo será devidamente agilizado e, num período inferior a dez anos, teremos um aumento de produção e uma diminuição significativa das importações.

Tags:
Fonte:
Trigo & Farinhas

0 comentário