A excelente idéia de Sérgio Dotto, diretor da Embrapa trigo

Publicado em 02/09/2011 08:07 517 exibições
A idéia de unificar a produção de trigo no Rio Grande do Sul em torno do trigo pão, e abandonar o plantio de duas variedades, como é feito hoje, trigo brando e trigo pão (duro), que são misturadas nos armazéns e pagas pelo tipo brando, de preço inferior, passando o plantio para apenas o tipo pão já foi ventilada várias vezes, porém nunca devidamente trabalhada e implantada. Agora o Dr. Sérgio Dotto, Diretor da Embrapa Trigo, de Passo Fundo, resolveu fazer algo que realmente funciona: conversar, conversar e conversar para convencer, usando o mesmo método que a Embrapa usou e usa para implantar novas tecnologias na área agrícola.

Há alguns dias este Boletim Trigo&Farinhas relatou história de produtor que dizia que não adiantava plantar variedade melhor, do tipo pão, com custo maior, se o preço que o moinho pagava era o de qualidade inferior, do tipo brando. Este é o sentimento (e a realidade) da maior parte dos produtores. A culpa era de todo mundo, desde o governo, que não impunha um padrão (que só foi imposto agora, para vigorar no próximo ano), passando pelos moinhos e cooperativas que não selecionavam adequadamente os tipos, até o produtor que plantava o que lhe dava mais lucro, claro.

Mas, agora, parece que a coisa vai realmente funcionar, porque uma idéia só vai pra frente quando há um homem empenhado por trás dela e este homem chama-se Sérgio Dotto.

Com reuniões diretas com grupos de produtores, será possível virar o jogo, para benefício de todos. Ganhará o produtor, que receberá preço melhor, ganhará o moinho, que terá matéria prima melhor, ganharão as indústrias, que terão farinhas melhores e ganhará o Brasil, que terá uma nova opção de exportação e fonte de divisas, ao invés de dispêndio de divisas, como tem hoje.

As perspectivas são excelentes: só no estado do Rio Grande do Sul há espaço para o plantio de 3 milhões de hectares que, com uma produção média de 2.000 kg/ha poderá produzir 6 milhões de toneladas, mais que o Brasil inteiro irá produzir neste ano. Evidentemente isto é para longo prazo, mas a consciência desta possibilidade motiva todo o empreendimento. O Rio Grande do Sul absorverá cerca de 1 milhão de toneladas e o restante estará disponível para exportação, de maneira paulatina e crescente. Já afirmamos várias vezes em nossos comentários neste boletim e nas entrevistas ao Canal Rural, de São Paulo, que a exportação viabilizará o plantio e a expansão da cultura do trigo no Brasil, mais do que qualquer empenho do governo, tal como aconteceu com a soja.

Parabéns, Dr. Sérgio! Conte com o Boletim Trigo&Farinhas para expandir e divulgar seu nobre empreendimento.

Tags:
Fonte:
Trigo & Farinhas

0 comentário