Publicidade
HOME VÍDEOS NOTÍCIAS DADOS DA SAFRA METEOROLOGIA FOTOS

Produção de mudas de maracujá em SC deve ser feita em ambiente protegido

Publicado em 31/03/2021 11:39 e atualizado em 31/03/2021 14:08 69 exibições

A produção de mudas de maracujeiro-azedo em Santa Catarina, que começou no final de fevereiro e se estende até 31 de julho, deve ser feita em ambiente protegido, pois essa é uma das estratégias preconizadas para o convívio com a doença do endurecimento dos frutos, disseminada pelo pulgão e que faz com que pomar produza frutas mais duras e com menos polpa. Santa Catarina é reconhecida por produzir o melhor maracujá do Brasil e a adoção dessas medidas é fundamental para manter da sanidade dos pomares com garantia de alta produtividade.

Em 1º de agosto termina o vazio sanitário e o plantio é liberado em Santa Catarina. O vazio sanitário foi estabelecido por uma portaria da Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural como uma das medidas para preservar os pomares da doença. Segundo a portaria, entre os dias 1 e 31 de julho de cada ano não poderá existir nenhum pomar comercial de maracujá em Santa Catarina, ou seja, todas as lavouras devem ser derrubadas, daí a importância da produção de mudas.

Para auxiliar o agricultor familiar catarinense, a Secretaria da Agricultura concedeu, em novembro de 2020, recursos no valor de até R$10 mil para a construção de abrigos de cultivo e aquisição dos insumos necessários para produção de mudas de maracujá, com pagamentos em até cinco anos e com descontos para pagamentos em dia. Essa política pública levou em conta o levantamento da produção de mudas em ambiente protegido feito por extensionistas rurais da Epagri em municípios produtores de maracujá-azedo. Os valores foram concedidos a partir de projetos elaborados pela Epagri.

Segundo o líder do projeto de fruticultura da Epagri no Sul Catarinense, Diego Adílio da Silva, foram desenvolvidos 24 projetos com apoio dessa política pública. Os valores tomados pelos produtores foram de R$234.655,00. “Tal apoio é de suma importância para ajudar a diminuir o déficit de mudas, que devem ser produzidas em ambiente preconizado, atendendo a legislação vigente”, explica.

Déficit de mudas em SC

Publicidade

O levantamento feito pela Epagri identificou um déficit na oferta de mudas do maracujeiro-azedo nas principais regiões produtoras em Santa Catarina. Segundo Diego, na safra 2017/18 o Estado apresentou área de 1.938 hectares cultivados com maracujazeiro-azedo, com uma densidade de 1.666 plantas por hectare e uma demanda por mudas de 3.876.160. “Considerando-se uma estabilização da demanda nos anos de 2020/21, estima-se que, diante da oferta de 2.305.748 mudas, o déficit é de 1.570.412, ou seja, mais de 40%”, diz.

O extensionista explica que as duas microrregiões com superávit de produção de mudas são Criciúma e Tubarão, com 225,73% e 77,04%, respectivamente. As microrregiões produtoras de maracujá que não produzem mudas em estrutura preconizada ou que dependem de mudas advindas de outras microrregiões são Blumenau, Chapecó, Canoinhas, Concórdia, Itajaí, São Miguel do Oeste e Tabuleiro. “Já a maior microrregião produtora, que é Araranguá, com 1.760 hectares cultivados, possui um déficit estimado em 1,666 milhão de mudas, ou seja, quase a metade. Por isso a Epagri vem incentivando os agricultores a produzirem as próprias mudas para garantir a sustentabilidade da produção familiar”, explica Diego, informando ainda que em agosto deste ano será realizado novo levantamento da produção de mudas para averiguar o efeito da política pública lançada em 2020.

Produção catarinense de maracujá

Santa Catarina é o terceiro maior produtor de maracujá do Brasil, ficando atrás apenas da Bahia e do Ceará. Os cultivos catarinenses têm produtividade de cerca de 20 a 22 toneladas por hectare, maior que a média nacional, que fica entre 12 a 14 toneladas por hectare. Os municípios catarinenses de São João do Sul e Sombrio estão entre os dez maiores produtores do País, sendo os únicos da lista fora das regiões Nordeste e Norte. Tamanha produtividade se deve, entre outros motivos, à forte adesão dos produtores às tecnologias criadas e difundidas pela Epagri.

Fonte:
Epagri - SC

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário