Brasil lidera exportação de sucos, mas busca novos mercados

Publicado em 08/06/2011 07:45 466 exibições
De cada cinco copos de suco de laranja consumidos no mundo, três são produzidos nas fábricas brasileiras. De acordo com dados da Associação Nacional de Exportadores de Sucos Cítricos – CitrusBR, o Brasil detém cerca de 50% da produção mundial de suco de laranja, exporta 98% do que produz e, com isso, alcança 85% de participação no mercado mundial. Números que surpreendem, mas que também preocupam. Após queda no consumo de suco cítrico nos principais países compradores, setor tenta recuperar mercados estagnado e buscar novos negócios.

Segundo o presidente da CitrusBR, Christian Lohbauer, os principais importadores de sucos cítricos brasileiros são a União Européia, com 70% do produto exportado, e Estados Unidos, com 18%, seguidos de China e Japão, com 3% do exportado cada um. Entretanto, há aproximadamente uma década o mercado europeu ficou estancado e os Estados Unidos tiveram queda de 25% no consumo da bebida. “Este é um quadro de estagnação para o Brasil como maior produtor e exportador. Espera-se que os grandes mercados aumentem o consumo e os emergentes comecem a consumir o produto”, afirma Lohbauer.

Com objetivo de conquistar novos mercados, empresas exportadores e a Associação trabalham com ações e projetos. Há um mês a CitrusBR lançou a campanha I feel Orange (www.ifeelorange.com) em um portal próprio na internet e em diversas redes sociais. A campanha visa promover o consumo do suco de laranja no mundo apresentando-o não apenas como um produto, mas uma atitude e um estilo de vida.

Já as empresas exportadoras planejam eventualmente instalar filiais na China, país que tem aumentado importação da bebida. Um dos motivos é que o suco brasileiros é exportado a granel, que é mais barato que em tambor, sistema utilizado por aquele país. “O mercado chinês na última década dobrou de tamanho, mas ainda é muito pequeno. A China tem muita fruta in natura, são os primeiros produtores de tangerina no mundo. Ela tem uma concorrência grande”, comenta Lohbauer. Entretanto, o presidente ressalta que à medita em que a renda do chinês aumenta e que a população urbana vai comprando mais em supermercado e mudando seus hábitos de consumo, este pode se tornar um bom investimento a longo prazo.

Citricultura no Brasil

Com cerca de 165 milhões de árvores em 2010, a citricultura no Brasil envolve direta e indiretamente cerca de 230 mil empregos, gerando uma massa salarial de R$676 milhões. O PIB do setor é de U$6,5 bilhões (2009), dividido em U$4,39 bilhões no mercado interno e U$2,15 no mercado externo.

Segundo a CitrusBR, a estimativa da safra de laranja de 2011-12 do Cinturão Citrícola de São Paulo e Triângulo Mineiro é de 387 milhões de caixas de laranja de 40,8 Kg.

Passo a passo do suco (Com informações da CitrusBR)

No pomar

Uma vez que o produtor tenha decidido plantar uma laranjeira, ele demorará no mínimo 3 anos para obter o primeiro fruto e quase dez para que a árvore atinja sua maturidade. O desenvolvimento de mudas cítricas que atendam as demandas do mercado, o uso da fertirrigação, o combate ferrenho às pragas dos citros e modernas técnicas de plantio contribuem para a produção de frutas de primeira qualidade, produzidas de acordo com exigentes padrões internacionais.

Laranjas da mesma árvore não necessariamente amadurecem no mesmo período. Por isso, no Brasil, a colheita da laranja ocorre de maneira 100% manual, sendo que um colhedor experiente pode colher até 3.000 kgs de laranja por dia. Após a colheita, a laranja pode ser destinada ao mercado consumidor local ou externo, como fruta in natura, ou à indústria processadora, que utilizará a fruta para a produção de suco, ácido cítrico, óleos essenciais, entre outros subprodutos.

Na indústria

Grande parte da produção de laranjas no Brasil tem como destino a indústria processadora de suco, responsável por fabricar cerca de 50% do suco mais consumido no mundo. A qualidade da bebida também é testada no que diz respeito a contaminantes, sabor e aroma.

As principais etapas são: recebimento da fruta, armazenamento nos bins, lavagem dos frutos, seleção e classificação, extração, mistura e homogeneização.

Transporte e Logística

Navios especialmente feitos para o transporte de suco de laranja, com tecnologia específica para que as propriedades do suco sejam mantidas, levam o produto dos portos brasileiros até terminais próprios das indústrias espalhados pelo mundo. Ao todo, são mais de 10 terminais em portos nos EUA, Bélgica, Holanda, Japão e Austrália, além do Brasil.

Da Embalagem ao Copo

O suco de laranja exportado pelo Brasil é engarrafado por grandes empresas estrangeiras, que finalizam o processo de produção do produto. Após embalar o suco de laranja ou, se for o caso, diluí-lo para fazer néctares e refrescos, as empresas engarrafadoras podem colocar produtos com suas próprias marcas no mercado, chamados de "branded", ou vendê-los com o marca de algum grande atacadista, o que se chama "private label".

Em comemoração ao Dia do Citricultor, 08 de junho, o presidente da CitrusBR Christian Lohbauer cumprimenta o produtor e destaca a importância da crença do dele no setor. “Esta é uma das atividades de maior risco da agricultura brasileira, pois demanda um investimento muito alto no início da atividade, além de doenças no processo de produção. O citricultor é forte e deve continuar acreditando na cultura, pois esta é uma atividade arriscada, mas muito honrosa”.

Tags:
Fonte:
Agrolink

0 comentário