Laranja: Leilão de Pepro negocia 73,02% da oferta total nesta quinta-feira (31)

Publicado em 31/01/2013 14:34
982 exibições
A Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) realizou, nesta quinta-feira (31), um leilão de Pepro (Prêmio de Escoamento do Produto) de 6,1 milhões de caixas de laranja. Do total, foram comercializadas 4.457,585 milhões, sendo 73,02% da oferta total. A receita foi de R$ 17.997.406,45. 

Dos lotes de Minas Gerais foram vendidos 95,14%. Das 100 caixas ofertadas foram vendidas 95.136 mil. Já pela oferta de São Paulo, a demanda foi menor, já que foram vendidas 4.362.449 milhões de caixas (72,71%) das 6 milhões ofertadas. 

Este leilão atendeu, na maior parte das vendas, a demanda dos citricultores que prevêem que a safra da laranja se estenda até março. O pregão, portanto, é mais um mecanismo de tentativa de manutenção dos preços. Além disso, o preço mínimo de R$ 10,10 por caixa também se estendeu até o dia 28 de março e esse deve ser mais um instrumento de auxílio para que o produtor consiga garantir sua renda. 
Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Henry Anderson Pereira Clemente Santa Cruz das Palmeiras - SP

    Espero que seja atendida a solicitação de revisão, feita pela Associtrus de acordo com publicação no site da mesma (01.02.13-" Associtrus recebe denuncias de irregularidades no Leilão de Pepro de Laranja do dia 31 de janeiro"), pois não se ouviu falar em contratos acima de R$6,00 para laranjas tardias, ou seja, é necessário averiguar para que não haja fraudes e para que os leilões desempenhem a sua finalidade que é de garantir renda aos pequenos.
    Também devemos lembrar que muitos começaram e terminaram suas colheitas, dentro dos mês de Janeiro/13 e com contratos de R$ 6,00 para baixo, tiveram sua renda comprometida porque não puderam arrematar no leilão, uma vez que os privilegiados seriam aqueles que teriam vendido acima de R$ 6,00. Vejamos: quem vendeu (teoricamente) por mais de R$ 6,00 conseguiu o preço mínimo, quem vendeu por menos nada teve. Será que houveram contratos acima de R$ 6,00 ? Será que é justo os outros não conseguirem, ao menos em parte de sua safra a garantia do preço mínimo? É necessário rever e tornar possível que as laranjas colhidas no mês de janeiro/13 possam participar do próximo leilão. Esperamos que a justiça seja feita.

    0