Publicidade

Frente a uma crise no setor, produtores brasileiros desistem do cultivo da laranja

Publicado em 19/06/2013 12:42 737 exibições

Antonio José Magalhães de Melo, que possui uma fazenda próxima ao municipio de Cafelândia, em São Paulo, produz laranjas há 25 anos, mas cortou fora mais da metade de 166.000 árvores este ano. Ele disse que o custo de cultivar e colher uma caixa de 40 kg sai R$3 a mais do que ele recebe por ela.

"O setor está impossível. Ontem eu fiz os cálculos e descobri que paguei R$30.000,00 no ano passado para cultivar e colher minhas laranjas", disse de Melo, 55, que está mudando para o cultivo da cana -de-açúcar.

De Melo é um dos muitos produtores de laranja brasileiros que estão desistindo do citros e mudando para outras colheitas - muitos deles para cana-de-açúcar. Uma menor quantidade de árvores pode significar menores suplementos globais de suco de laranja concentrado e congelado.

O Brasil é hoje o maior exportador mundial de suco de laranja. O país exportou 1,2 milhões de toneladas do produto em 2012, de acordo com o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) - quase 12 vezes mais do que os EUA, segundo maior exportador.

Enquanto os preços crescentes dos produtos químicos e da mão-de-obra são vistos como um fator determinante, produtores de laranja também culpam a queda nos preços domésticos. A média de preço oferecida pelos compradores industriais no Brasil caiu 60% em menos de seis anos - de R$15,46 por uma caixa em Janeiro de 2007 para R$6,50 em maio deste ano, de acordo com o Cepea.

O custo de produzir um bushel de laranjas e entregá-lo para as fábricas de suco subiu para R$14,77 na safra 2013-14, como estima a Conab. Um preço elevado em relação ao mesmo levantamento em 2010, quando o preço era R$13,90.

Parte do porquê de os preços estarem baixos são as safras consecutivas no Brasil nas duas safras anteriores, que lotaram os estoques mundiais e abaixaram os preços no mercado mundial em 31% no ano de 2012. Mas produtores dizem que a Citrosuco SA Agroindustria, a Sucocitrico Cutrale Ltda. e a Louis Dreyfus Commodities Brasil SA - as três companhias brasileiras que vendem 98% das exportações de suco de laranja - estão pagando menos pelas laranjas.

Publicidade

Juntas, as três companhias são responsáveis pela conta de 40% da produção de laranja brasileira.

Citrosuco e Cutrale não se pronunciaram ao questionamento da matéria. Louis Dreyfus Commodities direcionaram as questões a Ibiapaba Netto, um representante da CitrusBR, uma associação que representa os três exportadores de laranja, que disse que o que os produtores fazem com suas terras são de decisão própria deles.

O IEA disse que o número das laranjeiras frutíferas no estado de São Paulo, maior produtor do Brasil, caiu 8,3% em relação a 2012, quando haviam R$185.500 milhões de árvores. Este é o segundo número mais baixo nos últimos cinco anos. Este declínio, no entanto, inclui as árvores que foram cortadas devido a idade ou doenças.

"Se a informação for verdadeira, e se a informação começar a correr na comunidade comercial, teremos definitivamente uma alta nos preços futuros do suco de laranja", disse Joe Nikruto, corretor sênior de commodities na RJ O'Brien Futures, em Chicago. O suco de laranja concentrado caiu de 2% para $1.4570 na última quinta-feira.

No entanto, a demanda em declínio pelo suco de laranja pode acabar com qualquer expectativa de alta nos preços futuros. O consumo de suco de laranja em todo o mundo caiu 6,7% de 2003 para 2010, de acordo com a CitrusBR. Nos EUA, maior consumidor do suco, a venda total de galões vendidos caiu 14% de dezembro de 2010 para maio deste ano, de acordo com o Departamento de Citros da Flórida.

Com informações do site internacional MoneyBeat, blog do jornal The Wall Street Journal. 

Tags:
Por:
Izadora Pimenta
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário