Greening aumenta 15% em Barretos

Publicado em 10/09/2010 07:47
484 exibições
No estado, doença atinge 38,8% dos talhões de laranja.
O greening, pior doença de citros do mundo, avançou 15% em Barretos entre 2009 e 2010, segundo dados do Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus). A doença atinge 38,8% dos talhões dos pomares paulistas, segundo o levantamento amostral realizado pela instituição, entre os meses de maio e julho deste ano. Em todo o parque citrícola o índice de plantas doentes atingiu 1,87%.

Segundo o diretor do Escritório de Defesa Agropecuária (EDA) de Barretos, Paulo Fernando de Brito, o baixo preço da caixa de laranja prejudicou o manejo do pomar e o controle da doença. O manejo do greening envolve a erradicação de plantas doentes, controle do inseto vetor - o psilídeo Diaphorina citri - e constantes inspeções no campo, além do uso de mudas sadias e certificadas. De acordo com o Fundecitrus, a adoção do manejo regional, feita em conjunto por propriedades vizinhas, tem mais eficácia.

O estudo apontou que 36 mil talhões do parque citrícola estão contaminados. Em 2009, eram 23 mil, o que representa um aumento de 56% em todo o Estado de São Paulo. A região mais afetada é a central, que apresentou 61,7% de talhões contaminados, seguido pela região sul, com 44%.

Seguro

A criação de um seguro estadual para os produtores rurais contra os prejuízos causados pelo greening deve motivar o cuidado com os pomares, acredita o diretor do EDA de Barretos. De acordo com Brito, muitos produtores resistiam em arrancar as árvores doentes por causa do prejuízo.

O seguro, anunciado pelo governo estadual, em junho, paga R$ 4 para cada pé de laranja com greening que for arrancado. Para receber o benefício, o produtor deve estar em dia com o relatório de inspeção que deve apresentar semestralmente à Secretaria Estadual de Agricultura.

No futuro, isso vai incentivar o produtor, que vai inspecionar e fazer o relatório, que é o objetivo da Secretaria da Agricultura, afirma Brito.
Tags:
Fonte: EPTV

Nenhum comentário