Inspeções na China devem atrasar fluxo nos portos

Publicado em 03/07/2020 15:55 74 exibições

Com a implantação de controle reforçado na entrada de mercadorias alimentícias importadas pela China, em temor a uma segunda onda de Covid-19, deve haver um atraso no processo logístico, de acordo com o site Valor Econômico. Os contêineres que seguem para o país asiático, que antes eram inspecionados aleatoriamente para conferir se havia irregularidades, agora passam por um pente fino em busca de contaminações pelo novo coronavírus.

Segundo matéria veiculada pelo Valor, a pandemia da Covid-19 já havia causado problemas na logística entre países, mas com a maior rigidez no processo de verificação das cargas implantado nas últimas semanas, o tempo de permanência de um contêiner no país exportador, antes de 13 dias, agora aumentou para 17 a 20 dias. Há relatos de contêineres carregados esperando 30 dias o adiantamento de importadores.

Além disso, conforme o site, o tempo em que o contêiner fica no país de destino - em processos como inspeção sanitária - também já havia aumentado, chegando a dobrar. O prazo, que era de três a cinco dias, agora é 10 dias, e tende a aumentar com as inspeções adicionais realizadas pelos chineses. Com isso, a produtividadeacaba sendo afetada, já que o contêiner acaba sendo utilizado como uma espédie de armazém.

 

 

 

Tags:
Fonte:
Valor Econômico

0 comentário