Produtores de MT pedem que Dilma priorize logística

Publicado em 08/11/2010 08:20
492 exibições
A logística de Mato Grosso será um dos principais desafios do futuro governo de Dilma Rousseff. É o que afirma o presidente da Associação Mato-Grossense de Produtores de Algodão (Ampa), Gilson Ferrúcio Pinesso.

"A maior dificuldade que Mato Grosso enfrenta hoje é a questão de logística. Se formos analisar, temos que percorrer mais de 1.500 quilômetros para levar o algodão até o porto de Santos e para o porto de Paranaguá", relata.

De acordo com o representante dos produtores, a nova presidente conhece a realidade do estado, portanto é possível pensar em mudanças no futuro. "A logística de Mato Grosso é bastante precária, e a Dilma tem bastante conhecimento disso. Acredito que ela, enquanto presidente, tem todo o conhecimento para fazer as mudanças que nós precisamos fazer á nível de infraestrutura do estado", disse Pinesso.

Segundo Gilson, o novo governo terá que priorizar as obras que influenciam o escoamento da produção do Estado. "A curto prazo nós não temos uma perspectiva de resolver isso, mas para 2012 a gente já pode pensar em exportar esse algodão pelo porto de Santarém (PA) e pelo rio Amazonas.

E isso será possível se o Governo Federal incrementar e colocar mais recursos para que a obra da BR-163 termine o mais rapidamente possível", observou o presidente da Ampa.

Apesar das dificuldades, os produtores encararam a vitória de Dilma de maneira positiva. "A visão é bastante positiva. Nós ficamos muito felizes com a vitória dela. Acredito que a proximidade que os produtores têm com ela vai facilitar bastante o acesso com a Presidência e trará com certeza os benefícios que o estado precisa", enfatiza.

Renda dos produtores

Segundo o presidente da Ampa, quando a assunto é a renda dos produtores, não há o que reclamar. "Não podemos reclamar do governo federal no quesito crédito e preços minínos.

O setor de algodão está muito bem atendido. Neste momento também passamos por um período de preços altos para o algodão. O que nós precisamos mesmo é investimento na infraestrutura. Para se produzir tanto em Mato Grosso nós precisamos de estradas", finalizou.
Tags:
Fonte: Circuito Mato Grosso

Nenhum comentário