Longas esperas causam transtorno no Porto de Paranaguá, no Paraná

Publicado em 11/03/2011 08:02 598 exibições
Existem duas filas: no mar, a de navios e na estrada, a de caminhões. A espera é longa e cansativa, a fila de caminhões já chega a 20 quilômetros.
Longas esperas causam transtorno no Porto de Paranaguá, no Paraná. Existem duas filas: uma, no mar, dos navios que precisam descarregar os fertilizantes importados, e outra na estrada, dos caminhões que levam os grãos para exportação.

Uma espera longa e cansativa. A fila de caminhões até o Porto de Paranaguá já chega a 20 quilômetros. Em vez de transportar a soja, o milho e outros produtos agrícolas, a safra fica parada na estrada. “Tem um pátio para três mil caminhões, mas cinco mil descem ao dia. Não tem o que fazer”, afirmou Roger de Melo, caminhoneiro.

Etevaldo Boaventura enfrenta o cansaço, a fome e o sono. “Um lugar deste aqui não tem onde comer, onde tomar banho, é uma situação muito delicada, uma pouca vergonha. Ainda por cima estamos no início de safra, imagina mais pra frente como vai ficar”.

A situação não é só complicada para os caminhoneiros, os navios que trazem fertilizantes também estão esperando para descarregar. Em alto mar já tem fila, 23 navios estão ao largo do porto. Alguns navios esperam desde o início de janeiro para atracar no porto.

Até agora foram importadas 1,5 milhão de toneladas de fertilizantes. A previsão para este ano é que oito milhões de toneladas sejam importadas por Paranaguá. “O consumo está aumentando e os preços estão convenientes, então há um acréscimo na compra, na aquisição, neste momento. É uma situação relativamente normal, todo ano ocorre isso, afinal de contas, aqui em Paranaguá chega metade de todo fertilizante importado pelo Brasil”, explicou Airton Maron, Superintendente do Porto.

Tags:
Fonte:
Globo Rural

0 comentário