SP: Sec. de Agricultura toma medidas de prevenção e mantém pesquisas e prestação de serviços para o setor de produção

Publicado em 26/03/2020 08:46
75 exibições

A pandemia do coronavírus (Covid-19) exige medidas para preservação de vidas humanas em todo o mundo. No Estado de São Paulo não foi diferente e diversas ações têm sido tomadas para garantir a saúde da população e evitar a disseminação da doença. Uma das medidas adotadas foi o incentivo ao distanciamento social e adequações nas relações de trabalho para garantir a segurança e a saúde da população. Na Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, diversas iniciativas têm sido tomadas -- em atendimento às determinações do Governo do Estado e da Secretaria de Agricultura -- mas com critérios que permitem a continuidade dos serviços essenciais prestados pelas instituições científicas ligadas ao setor dos agronegócios, fundamental para a alimentação e abastecimento da população.

Os seis Institutos e 11 Polos Regionais de pesquisa ligados à APTA fizeram uma análise criteriosa para que grande parte de seus servidores fossem colocados em regime de teletrabalho, principalmente aqueles que compõem o grupo de risco a doença, a fim de diminuir o número de pessoas circulantes em suas unidades. Apesar de algumas adaptações das atividades, a APTA informa que suas pesquisas continuam ativas, pois são essenciais para o desenvolvimento do agronegócio paulista e brasileiro.

"Conforme orientação da Secretaria e do Governo do Estado, avaliamos todas as atividades essenciais, que mesmo neste momento de crise, não poderiam ser interrompidas. Grande parte dos nossos servidores estão trabalhando em regime de teletrabalho, porém, algumas poucas atividades continuam sendo realizadas presencialmente, por servidores que se encontram fora do grupo de risco da doença, como as atividades laboratoriais, de manutenção de campos experimentais e tratamento de animais. Nossos Institutos continuam produzindo insumos imprescindíveis para a continuidade da produção de alimentos, como os imunobiológicos", afirma Antonio Batista Filho, coordenador da APTA.

Trabalhos relacionados à sanidade animal e vegetal do Instituto Biológico (IB-APTA), considerados essenciais, não serão interrompidos. É o caso, por exemplo, do Laboratório de Viroses de Bovídeos do Instituto, que continua em funcionamento, com equipe reduzida por conta das medidas de contenção para o Covid-19, assim como outros laboratórios da área animal. A sanidade é considerada um serviço essencial para garantir a segurança alimentar, prevenção de doenças e emergência sanitária.

"No Laboratório de Viroses de Bovídeos do IB realizamos diagnósticos de várias doenças de bovinos, inclusive para atender o trânsito (interno e exportação) de animais vivos e seus produtos. Como exemplo citamos o diagnóstico sorológico de febre aftosa para ingresso de animais para o Estado de Santa Catarina, que é considerado livre da doença sem vacina. Para todo animal proveniente de outras regiões do país, inclusive o Estado de São Paulo, é exigido esse teste sorológico. Além disso, mantemos serviços relacionados às certificações dos reprodutores bovinos como de material genético das centrais de inseminação artificial, a fim de atender as demandas de exportação de sêmen", afirma Liria Okuda, pesquisadora do IB, que reforça que profissionais do LVB utilizam todos os equipamentos de proteção individual necessários e que a infraestrutura é adequada para manipular vírus de animais, sendo alguns deles zoonóticos e, por isso, todos estão treinados para garantir a biosseguridade do técnico, assim como das amostras que serão analisadas, conforme recomendações estabelecidas pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

As pesquisas e levantamentos realizados pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA) são fundamentais para a tomada de decisão no agronegócio, principalmente em um momento de incerteza econômica, como o atual. Segundo Priscilla Fagundes, diretora-geral do IEA, os trabalhos técnicos científicos do Instituto se mantém na forma de teletrabalho, com a adoção de ferramentas de tecnologia da informação e adequações na metodologia de levantamento de dados no campo. "As pesquisas do IEA são muito importantes, especialmente neste momento, para caracterizar e medir os impactos e consequências desta crise com diferentes olhares para o agro paulista. Além da manutenção dos nossos trabalhos que servem para subsidiar as ações da Secretaria de Agricultura e demais atores do agronegócio paulista, há um esforço coletivo da equipe técnica do IEA para dimensionar o impacto do coronavírus no agronegócio paulista. Além disso, mantemos nossas ações, como a coordenação do programa Rotas Rurais, que visa levar a localização para as propriedades rurais paulistas", afirma.

Outro exemplo são trabalhos relacionados à agricultura do Instituto Agronômico (IAC-APTA), que também mantém suas pesquisas e a prestação de serviços a agricultores e empresas em andamento. "É da natureza da ciência o enfrentamento dos desafios e a condução de tentativas na busca pelo objetivo traçado", diz o diretor-geral do IAC, Marcos Antônio Machado. Para ele, apesar do ineditismo da pandemia vivenciada e das incertezas trazidas pelo contexto, é fundamental que as instituições de ciência se organizem de modo a lidar com as dúvidas, traçando estratégias de redução de prejuízos e buscando manter a produção de respostas para a sociedade. "Esse é o papel da ciência em períodos normais e, sobretudo, em meio a crises", resume.

Na área animal, o Instituto de Zootecnia (IZ-APTA) está mantendo suas atividades científicas e de cuidado com seus animais. "Alguns servidores estão realizando de forma presencial atividades para trato e cuidado veterinário desses animais, que são jovens e sensíveis. Essas atividades são realizadas por poucas pessoas, sem aglomeração e ao ar livre. Estamos tomando todos os cuidados necessários", afirma Luciana Katiki, pesquisadora do IZ. Situação parecida ocorre na APTA Regional, que priorizou entre suas atividades presenciais o atendimento veterinário e alimentação de bovinos, suínos e peixes. "Também estamos priorizando a colheita de experimentos e sementes, como é o caso da soja. Estamos em plena safra da soja, por isso, esta atividade está mantida", afirma Silvio Tavares, diretor da APTA Regional.

No Instituto de Pesca (IP-APTA) estão mantidos os serviços essenciais da pesquisa, como manutenção de organismos vivos e continuidade dos estudos em andamento para que não sejam perdidos os investimentos públicos já empregados. "Na Sede do Instituto de Pesca, localizada no Parque da Água Branca, em São Paulo, por exemplo, estão sendo garantidas as atividades mínimas presenciais como alimentação dos animais do Aquário e dos experimentos de pesquisas. Esporadicamente, também estão sendo realizados acessos presenciais a equipamentos e sistemas do Governo. No restante está sendo utilizado o formato de teletrabalho para o desenvolvimento das pesquisas científicas e tecnológicas, prestação de serviço e tomada de decisões", diz Vander Bruno dos Santos, diretor-geral do IP.

No Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL-APTA) também estão mantidas as atividades essenciais de pesquisa e prestação de serviço para a indústria de alimentos. "Nossa preocupação é não perder pesquisas científicas que estão sendo conduzidas no ITAL e finalizar os serviços tecnológicos já contratados pela indústria de alimentos e que contam com os resultados do Instituto neste momento de crise. Estamos tomando todos os cuidados e reduzimos ao máximo a circulação de pessoas dentro da nossa unidade. Continuamos atendendo nossos clientes pelos meios eletrônicos e realizando as atividades administrativas e de pesquisa na modalidade de teletrabalho", diz Eloísa Garcia, diretora-geral do ITAL.

Outras ações

Estão suspensos por tempo indeterminado cursos e eventos programados pelos Institutos e unidades de pesquisa da APTA. A suspensão visa conter a disseminação do coronavírus (Covid-19). Os eventos serão remarcados e anunciados em momento oportuno.

A visitação à exposição Planeta Inseto, do IB, localizada na capital paulista, ao Aquário e ao Museu de Pesca, do IP, localizados em São Paulo, capital, e Santos, respectivamente, estão suspensas. Os locais encontram-se fechados.

Os seis Institutos de Pesquisa ligados à APTA também fecharam suas bibliotecas, localizadas em Campinas, São Paulo e Nova Odessa. Os cursos de pós-graduação oferecidos pelo IAC, IB, ITAL, IP e IZ também tiveram aulas presenciais suspensas, assim como viagens e reuniões presenciais internas e externas na APTA.

Fonte:
Sec. de Agricultura de SP

0 comentário