Leilão de contrato de opção é alternativa para escoar supersafra de milho mato-grossense

Publicado em 19/04/2013 14:57 541 exibições
Clima favorável e aumento de área plantada indicam recorde de produção de milho em MT, mas intervenção do governo é necessária
A safra de milho em Mato Grosso está prestes a quebrar novo recorde de produção. Dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA) revelam aumento da área plantada e as chuvas regulares confirmam a previsão de bons resultados. Os produtores mato-grossenses destinaram 300 mil hectares a mais para o plantio do grão em comparação com o ano passado, segundo o IMEA. Em 2013, a área utilizada na segunda safra foi de 2,7 milhões de hectares, enquanto que no ano passado foram 2,5 milhões de hectares, crescimento 11,3%.

Para tentar amenizar as já anunciadas dificuldades de escoamento da produção do milho em Mato Grosso, e ainda atender a demanda em outras regiões do país, a Aprosoja acredita que alternativa seja a intervenção do governo federal. “Estamos visualizando um cenário de aumento de custo de produção aliado ao alto preço do frete. Neste momento é primordial que o governo realize Leilões de Contrato de Opções para facilitar a recomposição dos estoques públicos. Ações deste tipo, neste momento, que antecede a colheita do milho, diminui a pressão do mercado por preços”, explicou o gerente de Planejamento da Aprosoja, Cid Sanches.

Motivado pelos bons preços do milho na safra de 2012, o produtor Osvaldo Pasqualotto, de Rondonópolis, aumentou a área de plantio em 10%. A expectativa é que se repita a valorização do grão como no ano anterior. “Decidi plantar mais milho este ano, e por enquanto tudo está nos conformes: chuvas e condições fisiológicas da planta favoráveis. Talvez não tenhamos o mesmo desempenho do ano passado, mas, com a utilização de armazém próprio, pretendo segurar a venda até o final do ano e espero comercializar entre R$ 16 e R$ 17 a saca”, afirmou Pasqualotto.

Considerando o aumento de área plantada e utilizando uma média de produtividade de 80 sacas por hectare, o estado terá uma produção de 13,3 milhões de toneladas. Porém, se utilizada a base de cálculo da média de produtividade do ano de 2012, onde foram 104 sacas por hectare, a produção sobe para 17,5 milhões de toneladas. A estimativa final é que Mato Grosso colha mais de 15 milhões de toneladas do grão somente neste ano.

O produtor de Campo Novo do Parecis, Adolfo Petry, enfrentou alguns problemas com pragas no início da lavoura, mas tudo já está sob controle. “Acabei plantando um pouco mais tarde e por isso usei sementes com tecnologia inferior. Percebi aumento de percevejo em relação ao ano anterior, mas creio que seja a soma da qualidade da semente aliada às condições naturais”, destacou.

Mas quando o assunto é aumento de produtividade, Petry , que pretende colher cerca de 70 mil sacas de milho,  não mantém o entusiasmo. Para o produtor, a questão logística é a principal vilã. “Infelizmente tenho um sentimento pessimista quanto a nossa boa produção. Teremos muito milho, pouco armazém e aquela velha dificuldade de levar os grãos até aos portos”, desabafou o produtor.

Tags:
Fonte:
Aprosoja

0 comentário