Novo Pepro millho/MT só após avaliação dos últimos leilões, diz Geller

Publicado em 03/10/2013 11:37
646 exibições

A realização de novos leilões de Pepro de milho só serão definidas após uma avaliação das operações já realizadas, segundo o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Néri Geller. O objetivo é avaliar o impacto dos leilões no mercado. Desde julho, já foram realizados sete pregões pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), sendo ofertadas cerca de 7,650 milhões de toneladas. 

No entanto, o secretário do Mapa afirma que a demanda do setor produtivo, principalmente do Mato Grosso, ainda é bastante grande. Segundo informações de lideranças mato-grossenses, o estoque de passagem do estado pode ficar em 10 milhões de toneladas. Segundo números do IMEA (Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária), a produção de milho local na temporada 2012/13 foi de 22 milhões de toneladas, e o consumo interno de 3 milhões. 

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • jose renato da silva Uberlândia - MG

    Os produtores adquirem o direito do prêmio, caso consiga vender pelo preço mínimo do valor do premio somado o valor de venda que precisar fechar o valor do preço mínimo de R$ 13,02. Isto não está sendo possível, o grande número de produtores que estão fazendo o pedido de desobrigação na Conab dos dois últimos leilões é muito grande devido a impossibilidade de não ter conseguido vender seu milho. Então no resultado geral dos leilões o volume negociado junto a Conab de premio é grande, mas volume concretizado de venda, não corresponde o mesmo volume. Aqui vai uma alerta: O prazo de 90 dias que a Conab estipulou para o produtor ficar impedido após a entrega da desobrigação, deverá ser analisado para não haver este impedimento. Visto que a Conab terá que fazer novos leilões de PEPRO para alavancar as vendas do MT com prêmios maiores. Esses produtores ficando impedidos de participar de novos leilões por 90 dias, fará com que não escoe o milho e consequentemente na virada do ano os armazéns estarão estocados ainda com milho, trazendo um grande gargalo para a entrada da soja que inicia em janeiro. Precisa urgente ser avaliada esta questão do impedimento de 90 dias. Precisa deixar os produtores livres para participar de novos leilões. Lembrando que os produtores não venderam o milho, porque a conta não fecha entre venda + premio com o preço mínimo. Sugerimos as autoridades do MAPA,CONAB, APROSOJA, ENTIDADES E SINDICATOS analisar a questão. Abraços

    0