Milho: Na CBOT, preços operam com volatilidade; No Brasil, cotações estáveis

Publicado em 03/04/2014 12:54 e atualizado em 03/04/2014 16:26 414 exibições

Na Bolsa de Chicago (CBOT), os futuros do milho operam com volatilidade nesta quinta-feira (3). As cotações futuras operam dos dois lados da tabela, próximos da estabilidade. Por volta das 12h50 (horário de Brasília), as principais posições da commodity exibiam ligeiros ganhos entre 0,75 e 1,25 ponto. O contrato maio/14 era cotado a US$ 4,96 por bushel.

O mercado ainda é pressionado por um movimento de realização de lucros. No último pregão, as cotações do cereal registraram baixas expressivas. O vencimento maio/14 caiu 2,3 e terminou o dia cotado a US$ 4,95 por bushel, após atingir o patamar de US$ 5,12 por bushel, maior nível desde julho, de acordo com informações da agência internacional Bloomberg.

Segundo analistas, o recuo nos preços em Chicago é um movimento normal após os ganhos registrados no início da semana. As cotações foram impulsionadas pelos números dos estoques trimestrais e área de plantio nos EUA anunciados pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), que ficaram abaixo das expectativas do mercado.

Paralelo a esse quadro, as exportações de milho norte-americano permanecem firmes. Ainda hoje, o departamento reportou as exportações da safra 2013/14 em 960.600 toneladas, na semana encerrada no dia 27 de março. Na última semana, o número foi de 1.408.300 toneladas. 

Ainda assim, em relação à média das últimas quatro semanas, houve uma redução de 12%. O Japão foi o principal comprador do cereal norte-americano, com 236.500 toneladas. Para a safra 2014/15, no mesmo período, as exportações ficaram em 37.900 toneladas, contra 28.400 toneladas anunciadas anteriormente. 

Outro fator que deve começar a ganhar força a partir de agora é o clima nos Estados Unidos. De acordo com o analista de mercado da Carlos Cogo Consultoria, Carlos Cogo, já está se confirmando a configuração de atraso no plantio de milho no país. "Agora, a questão climática vai tomar a atenção do mercado, mais até mesmo que os números de oferta e demanda. Será importante acompanhar os números de evolução do plantio nos EUA", afirma.

BMF&Bovespa

Os futuros do milho negociados na BMF&Bovespa trabalham com valorizações nesta quinta-feira. Os contratos dão continuidade ao movimento altista registrado na sessão anterior. A alta do dólar, assim como, a quebra na safra de verão e a incerteza em relação à safrinha continuam dando suporte aos preços, segundo explicam analistas.

Para o analista de mercado da Safras e Mercado, Paulo Molinari, os preços futuros buscam um equilíbrio com os valores praticados no mercado interno. Ainda no mercado doméstico, as cotações seguem estáveis e a tendência para os próximos dias é de estabilidade nos preços.

Nesta quinta-feira, o cereal é comercializado a R$ 32,00 em Campinas (SP) CIF, em Campo Mourão (PR), o valor é de R$ 27,00. Já em Lucas do Rio Verde (MT), o valor praticado é de R$ 21,00, enquanto que, em Mineiros (GO), a saca é negociada a R$ 24,50. Em Unaí (MG), o valor é de R$ 26,00. 

Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário