Nordeste Brasileiro não receberá o Milho da Bahia

Publicado em 11/04/2014 08:12 476 exibições

No dia 13 de março 2014, o Ministério da Agricultura publicou a Portaria Interministerial nº 222 que determinava a disponibilização dos estoques governamentais reguladores de Milho para oferta ao mercado interno. Como o principal destino do Milho produzido no Oeste da Bahia é o Nordeste, a Aiba solicitou ao Ministério a exclusão deste destino dos leilões.

A ação realizada pela Aiba tinha o objetivo de garantir fluência na comercialização do Milho produzido na Bahia, mas, na última terça-feira (08.04), o Ministério da Agricultura lançou um edital contemplando a comercialização de 25 mil toneladas do produto, com origem do Mato Grosso, para atender à todo o país, inclusive o mercado nordestino.

“ Nós nos antecipamos aos fatos, mas não fomos atendidos. Esta ação do Ministério prejudicará diretamente a comercialização do Milho produzido em regiões com o Oeste da Bahia e o Piauí”, disse Júlio Cézar Busato, presidente da Aiba.

Na safra 2013/14, o Oeste da Bahia deverá produzir cerca de 2,3 milhões de toneladas, quantidade esta que, em sua maioria, terá que ser exportada diante de tal medida do Ministério. Além da limitação do mercado interno, o agricultor baiano passará a enfrentar as barreiras logísticas de exportação, para escoar sua produção.

Tags:
Fonte:
AIBA

1 comentário

  • LUIZ CARLOS SOBRINHO Aparecida de Goiânia - GO

    - Bom Dia, acredito que o pessoal da AIBA,possa ter razão.

    - Agora isso somente mostra a incompetência do Ministério da Agricultura.

    - Porque estes leilões deveria ter inicio próximo do mês de Dezembro e finalizar no final de Março/2014.

    - Para não atrapalhar está colheita que está iniciando na Bahia.

    - Desta forma, ficou as empresas do nordeste sem milho, no momento exato e agora atrapalha também a colheita da Bahia.

    - Este ministério da Agricultura, na verdade deveria ser uma Secretária.

    - Porque onde já se viu um ministério, ser subordinado a dois ministério.

    - Este ministério não tem autonomia, não resolve nada sozinho.

    0