Milho: Frente às especulações de redução na safra dos EUA, preços fecham em alta expressiva em Chicago

Publicado em 06/05/2014 18:15 723 exibições

As cotações futuras do milho terminaram o dia na Bolsa de Chicago (CBOT) do lado positivo da tabela. Ao longo das negociações, as cotações reverteram as perdas e fecharam a sessão com ganhos expressivos entre 9,25 e 9,75 nos principais vencimentos. O contrato julho/14 era cotado a US$ 5,17 por bushel.

Segundo o analista de mercado da Cerealpar, Steve Cachia, a expectativa é que o próximo relatório de oferta e demanda dos EUA, que será divulgado pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) na sexta-feira (9), traga uma redução na safra americana de 354 para 349 milhões de toneladas. Além disso, outro fator que também contribuiu para as altas são as valorizações do mercado do trigo. 

Nas últimas sessões, os futuros do trigo têm sido impulsionados pela seca nos EUA e as tensões na Ucrânia. Pesquisa realizada pela agência internacional Bloomberg, a safra norte-americana pode ser a menor desde 2006. Já na Ucrânia, as incertezas econômicas e a também o clima seco podem prejudicar as exportações do país. 

Na visão do consultor do SIMConsult, Liones Severo, há um excesso de consumos no mundo e a Ucrânia deverá ter uma diminuição de 6 a 7 milhões de toneladas. "E o Conselho Internacional de Grãos informou que a safra global deverá cair cerca de 15 milhões de toneladas. O milho terá seu preço, pois não tem milho no mundo", ressalta.

Ainda nesta segunda-feira, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), reportou que até o último dia 4 de maio, a semeadura evoluiu para 29% da área projetada, na última semana o percentual era de 19%. A média dos últimos cinco anos é de 42%. E para os próximos dias, as previsões climáticas apontam para temperaturas mais altas e chuvas limitadas, cenário que deve favorecer a evolução do plantio.

Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário