Milho: Mercado amplia perdas e o set/14 se aproxima dos US$ 4,10/bushel

Publicado em 02/07/2014 12:51 341 exibições

Ao longo das negociações nesta quarta-feira (2), os futuros do milho negociados na Bolsa de Chicago ampliaram as perdas. Pelo terceiro dia consecutivo, os preços da commodity trabalham do lado negativo da tabela e, por volta das 12h05 (horário de Brasília) exibiam quedas entre 4,75 e 5,25 pontos. O vencimento julho/14 era negociado a US$ 4,17 por bushel. 

Após os relatórios do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), o mercado frente às expectativas de safra recorde de milho nos EUA, conforme destaca o analista de mercado da Agrogt Corretora de Cereais, Gilberto Messias Toniolo. As projeções do órgão apontam para a colheita de uma produção histórica no país, de 353,97 milhões de toneladas. 

 Além disso, o clima permanece contribuindo com o desenvolvimento das lavouras norte-americanas. O analista destaca que as condições climáticas estão próximas das ideais. De acordo com boletim do USDA, cerca de 75% das lavouras apresentavam boas ou excelentes condições até o último domingo. E em torno de 5% das plantações estão em fase de espigamento.

“Com isso, temos uma mudança no patamar do mercado. E as cotações do cereal têm possibilidade de alcançar os US$ 4,00 por bushel. Há relatórios de agências internacionais que apontam que os preços podem operar no intervalo de US$ 3,60 a US$ 3,80 por bushel em outubro, novembro e dezembro, caso tenhamos a confirmação de produção recorde nos EUA”, afirma Toniolo.

Apesar do cenário negativo, o analisa ainda sinaliza que, oscilações positivas nos preços não estão descartadas, uma vez que a cotação em patamar mais baixo acaba estimulando a demanda, especialmente pelo setor de etanol e rações. Ainda assim, as informações ainda não foram suficientes para ocasionar uma reação nos valores praticados.

Relatórios do USDA

Na última segunda-feira, o departamento norte-americano reportou os estoques trimestrais em 97,87 milhões de toneladas, até 1º de junho. O número ficou acima das expectativas do mercado. Já a área destinada ao plantio do cereal na safra 2014/15 foi de 37,07 milhões de hectares, estimativa pouco abaixo da última projeção do departamento, de 37,1 milhões de hectares.

Consequentemente, o vencimento dezembro/14 caiu 4,9% no dia do relatório, a maior perda desde junho desde 2013, segundo informou a agência internacional de notícias Bloomberg. No pregão anterior, o mesmo contrato recuou para US$ 4,17 por bushel, menor patamar para um vencimento ativo desde 10 de janeiro.

BMF&Bovespa

A quarta-feira é mais dia de queda para os futuros do milho negociados na BMF&Bovespa. Na manhã de hoje, o vencimento julho/14 era cotado a R$ 24,10 a saca, com desvalorização de 1,19%. Além da influência do mercado internacional, a evolução da segunda safra brasileira também pressiona as cotações.

A colheita tem ganhado ritmo e avançado, especialmente nos estados do PR e do MT. E também pressionado as cotações no mercado interno, com isso parte dos produtores rurais tentam segurar o produto à espera de melhores oportunidades, enquanto que, os comparadores adquirem o produto da mão pra boca.

Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário