Milho dá continuidade ao movimento positivo e encerra 2ª feira com valorização de mais de 1% na CBOT

Publicado em 21/11/2016 16:58
231 exibições

As cotações futuras do milho fecharam o pregão desta segunda-feira (21) em campo positivo na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais posições do cereal ampliaram os ganhos ao longo do dia e finalizaram a sessão com valorizações de 4,25 pontos. O vencimento dezembro/16 era cotado a US$ 3,49 por bushel. O março/17 encerrou o dia a US$ 3,57 por bushel.

Segundo informações reportadas pelas agências internacionais, as cotações do cereal acompanharam a valorização registrada nos futuros da soja. Além disso, a forte alta observada nos preços do petróleo também ajudou a sustentar as cotações do cereal. Na tarde desta segunda-feira, o barril era cotado a US$ 48,19, com ganho de mais de 3,95% na Bolsa de Nova York.

Já os embarques semanais somaram 875,976 mil toneladas de milho, até a semana encerrada no dia 17 de novembro. O número ficou acima do registrado na semana anterior, de 684,990 mil toneladas do cereal. Contudo, o volume ficou dentro das apostas dos participantes do mercado, entre 800 mil a 1 milhão de toneladas do grão. As informações foram divulgadas pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos).

Os investidores ainda aguardam as informações vindas do lado da oferta. No início da noite de hoje, o departamento ainda traz a atualização da colheita do grão nos Estados Unidos. Até a semana anterior, cerca de 93% da área já havia sido colhida.

BM&F Bovespa

Na BM&F Bovespa, os preços futuros do milho encerraram a sessão desta segunda-feira (21) com ligeiras perdas. As principais posições do cereal acumularam desvalorizações entre 0,13% e 0,95%. O vencimento janeiro/17 era cotado a R$ 37,44 a saca, enquanto o março/17 era negociado a R$ 37,45 a saca. Já o maio/17 finalizou o pregão a R$ 36,45 a saca.

Novamente, as cotações do cereal acompanharam a movimentação do câmbio. O dólar terminou o dia com perda de mais de 1%, cotado a R$ 3,3520 na venda. Nesta segunda-feira, o câmbio seguiu a movimentação da moeda norte-americana sobre outras divisas no exterior.

Além disso, os investidores permanecem atentos aos desdobramentos da política brasileira. De acordo com a agência Reuters, o ativo acumula alta de 2,58% desde o último dia 16.

Mercado interno

O início da semana foi de lentidão aos negócios e ligeiras oscilações nos preços do milho no mercado interno. Segundo levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, em Jataí (GO), os preços cederam 6,25% e a saca fechou o dia a R$ 30,00. Em Assis (SP), a queda foi de 4,56%, com a saca a R$ 30,77.

Na região de São Gabriel do Oeste (MS), a saca caiu 1,75% e terminou o dia a R$ 28,00. Em contrapartida, em Itapeva (SP), a alta foi de 2,95%, com a saca de milho a R$ 34,19. No Porto de Paranaguá e nas demais praças pesquisadas o dia foi de estabilidade aos preços. No terminal, a saca fechou o dia a R$ 33,00.

Conforme dados reportados pelo Cepea nesse início de semana, os preços permanecem em queda em grande parte das regiões acompanhadas pelo centro. "O bom desenvolvimento da safra de verão e a redução das exportações vêm favorecendo o aumento da disponibilidade e dos estoques de passagem no mercado interno. Assim, compradores continuam exercendo pressão sobre os valores", divulgou em nota.

Ainda assim, o centro pondera que, na região de Campinas (SP) o movimento negativo foi limitado. "O suporte veio da retração de vendedores, que apostam em novos aumentos com a valorização do dólar frente ao real", informou o Cepea.

Confira como fecharam os preços nesta segunda-feira:

>> MILHO

Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário