Milho inicia sessão desta 6ª feira próximo da estabilidade na CBOT após feriado nos EUA

Publicado em 25/11/2016 12:10
90 exibições

As principais posições do milho negociadas na Bolsa de Chicago (CBOT) iniciaram a sessão desta sexta-feira (25) com ligeiras perdas. Por volta das 12h32 (horário de Brasília), os contratos do cereal exibiam quedas entre 0,25 e 0,50 pontos. O vencimento dezembro/16 era cotado a US$ 3,50 por bushel, enquanto o março/17 trabalhava a US$ 3,58 por bushel.

O mercado voltou do feriado de Ação de Graças, bem perto da estabilidade. O comportamento dos preços está em linha com o esperado pelos analistas internacionais de mercado. "As cotações irão iniciar a sessão mais suaves", disse o analista de mercado e editor do portal Farm Futures, Bryce Knorr, em seu comentário diário.

Os participantes do mercado também já avaliam os números do boletim de vendas para exportação, reportado pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) na manhã de hoje. Na semana encerrada no dia 17 de novembro, as vendas de milho somaram 1,69 milhão de toneladas. O volume ficou acima das expectativas dos investidores entre 900 mil toneladas e 1,2 milhão de toneladas.

Ainda assim, as cotações do cereal têm sido pressionadas negativamente pela perspectiva de uma grande safra nos EUA. Com a colheita na reta final, os produtores deverão colher mais de 386 milhões de toneladas do cereal nesta temporada. Além disso, a movimentação do dólar e o comportamento da soja também têm influenciado o andamento dos preços.

BM&F Bovespa

Na BM&F Bovespa, as cotações do cereal iniciaram a sessão desta sexta-feira em queda. Perto das 12h41 (horário de Brasília), as principais posições do cereal apresentavam desvalorizações entre 0,55% e 1,21%. O vencimento janeiro/17 era cotado a R$ 37,42 a saca, enquanto o março/17 a R$ 37,65 a saca.

O mercado recua apesar da alta registrada no câmbio. Perto das 12h20 (horário de Brasília), o dólar era negociado a R$ 3,426 na venda, com alta de 0,95%. No início do dia, a moeda chegou a subir mais de 2% frente ao noticiário político depois que o presidente Michel Temer foi citado em depoimento à Polícia Federal, pelo ex-ministro Marcelo Calero, conforme reportou o site do G1.

Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário