Milho cai até 4,25 pontos nesta terça e atinge nível mais baixo desde novembro na Bolsa de Chicago

Publicado em 26/02/2019 17:34 e atualizado em 27/02/2019 09:31
358 exibições

LOGO nalogo

A terça-feira (26) chegou ao fim com os preços internacionais do milho apresentando quedas na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registraram desvalorizações entre 3 e 4,25 pontos. O vencimento março/19 era cotado a US$ 3,66, o maio/19 valia US$ 3,76 e o julho/19 era negociado por US$ 3,84.

Segundo análise de Bryce Knorr da Farm Futures, os futuros do milho caíram para seu nível mais baixo desde o final de novembro após as baixas dessa semana. “Notícias mistas sobre as exportações deixaram o mercado vulnerável. Outra fabricante de rações da Coréia do Sul estava no mercado durante a noite, mas encheu apenas metade de uma proposta, já que os negócios mais recentes podem ser obtidos em qualquer lugar do mundo com muita concorrência, incluindo origens mais baratas da América do Sul”.

O site Barchart destacou ainda que o milho está mostrando pressão de venda contínua, com a maioria dos contratos abaixo de 1 a 4 centavos. O fechamento médio de fevereiro é de US$ 4,00 nos primeiros 25 dias. O mercado aguarda ainda o relatório semanal do EIA que será divulgado na quarta-feira no horário habitual. As negociações da guerra comercial incluíram a solicitação à China de reduzir as tarifas sobre o etanol dos EUA, segundo o secretário Perdue.

Esse movimento de baixa esteve presente nas principais commodities agrícolas na CBOT, conforme mostrado pela ARC Mersosul. Fundos de gestão ativa continuam no movimento de vendas, uma vez que a calmaria da Guerra Comercial gera uma extrema ansiedade. Uma reconciliação política entre os Estados Unidos e a China parece entrar em descrença pela especulação. Além do mais, a suposta promessa chinesa de adicionar um total de US$ 30bi em novas compras de produtos agrícolas estadunidenses neste ano, já tem sido questionada por especialistas asiáticos, que afirmam não haver a viabilidade técnica.

Mercado Interno:

Já no mercado interno, os preços do milho disponível permaneceram sem movimentações em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, as valorizações apareceram somente nas praças de Pato Branco/PR, Palma Sola/SC, São Gabriel do Oeste/MS, Rondonópolis/MT, Alto Garças/MT (3,45% e preço de R$ 30,00) e Itiquira/MT (3,45% e preço de R$ 30,00).

As desvalorizações apareceram apenas no Oeste da Bahia (0,70% e preço de R$ 35,25) e em Campinas/SP (1,36% e preço de R$ 35,46).

A XP Investimentos divulgou que em Campinas/SP, o feriado de carnaval impulsiona as especulações no mercado físico de milho. Nesta terça-feira (26), a amostra da XP Investimentos registrou R$ 41,53/sc, a maior referência do último semestre. Como vem sendo ressaltado, o ponto chave ainda é a regionalização dos lotes. Intermediários e Silos sobem as pedidas pelos lotes de diferido, sabendo as Indústrias e Granjas deverão fazer estoques para o feriado.

Aos poucos o movimento vai se consolidado, embora compradores busquem diversificar os lotes com milho tributado e sair das mãos dos locais. De acordo com informantes, por mais os fretes encareçam a busca pelo milho do MS e de GO, ainda vale mais a pena a compra do milho tributado.

A Radar Investimentos complementa que o comprador saiu a mercado no início desta semana e se deparou com remarcações de preços maiores. A expectativa é que os negócios percam tração na medida em que nos aproximamos do feriado do carnaval.

Confira como ficaram as cotações nessa terça-feira:

>> MILHO

Tags:
Por Guilherme Dorigatti
Fonte Notícias Agrícolas

Nenhum comentário