Milho perde força em Chicago e apresenta desvalorizações nessa terça-feira

Publicado em 19/03/2019 12:49 e atualizado em 19/03/2019 17:20
131 exibições

LOGO nalogo

Ao longo dessa terça-feira (19) os preços internacionais do milho futuro perderam força e saíram da estabilidade para desvalorizações na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registraram quedas entre 1,50 e 2,75 pontos negativos por volta das 12h26 (horário de Brasília).

O vencimento maio/19 era cotado a US$ 3,68, o julho/19 valia US$ 3,78 e o setembro/19 era negociado por US$ 3,85.

Segundo informações da Agência Reuters, as poucas movimentações no mercado de grãos seguem as vendas americanas que ficam menores do que o esperado. O USDA informou inspeções de exportação de milho americano na última semana em 795.241 toneladas, abaixo de um valor ajustado 803.351 toneladas na semana anterior.

“Continuamos a ver uma oferta sólida globalmente, embora isso ainda não seja refletido nas vendas semanais dos Estados Unidos”, disse Ole Houe, diretor de serviços de consultoria na corretora IKON Commodities em Sydney, Austrália.

Já Tony Dreibus da Successful Farming aponta também que EUA e a China continuam a falar sobre o comércio sem dar muita ideia sobre se ou quando um acordo entre as potências pode ser fechado.

O secretário da Agricultura, Sonny Perdue, disse na Bloomberg Television que um acordo será assinado "esperançosamente em breve". As negociações costumam levar anos, então as conversas vêm ocorrendo há relativamente pouco tempo, disse ele.

B3

A bolsa brasileira segue a mesma tendência e apresenta queda nos preços do milho futuro. As principais cotações registravam desvalorizações entre 1,10% e 1,59% por volta das 12h12 (horário de Brasília). O vencimento maio/19 era cotado a R$ 36,51, o julho/19 valia R$ 33,75 e o setembro/19 era negociado por R$ 33,94.

A Agrifatto Consultoria aponta que os embarques com o milho registraram menor ritmo na comparação mensal pelo 2º mês consecutivo. As informações parciais, considerando os 9 primeiros dias úteis deste mês, somam 407,41 mil toneladas com ritmo diário de 45,27 mil toneladas.

Resultado 48,31% menor ante o ritmo diário do mês anterior, quando o país embarcou 1,75 milhão de toneladas.

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário