Possível atraso nas plantações de milho americano sustentam altas em Chicago nesta quinta-feira

Publicado em 21/03/2019 17:12 e atualizado em 22/03/2019 09:28
551 exibições

LOGO nalogo

A Bolsa de Chicago (CBOT) encerrou a quinta-feira (21) com os preços internacionais do milho futuro valorizados. As principais cotações registraram altas entre 3,25 e 4,75 pontos. O vencimento maio/19 foi cotado a US$ 3,76, o julho/19 valeu US$ 3,85 e o setembro/19 foi negociado por US$ 3,91.

Segundo análise de Ben Potter da Farm Futures, os preços do milho aumentaram cerca de 1% na quinta-feira, já que as inundações generalizadas entre as planícies e o centro-oeste podem levar a plantações tardias no final da primavera.

As ofertas de base de milho foram praticamente inalteradas, mas estritamente misturadas quinta-feira, movendo-se apenas um centavo mais alto ou mais baixo em todas as localidades do Centro-Oeste hoje.

A avaliação mais recente da inundação na primavera da NOAA aponta problemas moderados ou graves para a maior parte do Centro-Oeste entre agora e maio. A perspectiva de 3 a 4 semanas da agência mostra que a precipitação continuou acima do normal, provavelmente para uma grande parte das Planícies e do Cinturão Ocidental do Milho até o início de abril.

Ainda nesta quinta-feira, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulgou seu novo boletim semanal de vendas para exportação apontando vendas semanais de milho da safra velha em 855,9 mil toneladas, com a maior parte destinada ao Japão. O volume ficou dentro do intervalo esperado pelo mercado, de 600 mil a 1,3 milhão de toneladas. 

Em todo ano comercial, as vendas americanas do cereal já somam 41.753,6 milhões de toneladas, contra pouco mais de 45 milhões do mesmo período da temporada anterior. A expectativa do departamento é de que os EUA exporte 60,33 milhões de toneladas. 

Da safra 2019/20 foram vendidas 60 mil toneladas de milho para os japoneses também. 

Confira como foram os número divulgados pelo USDA:

>> USDA traz vendas fracas dos EUA e lineup de navios segue forte no Brasil

Mercado Interno

Já no mercado interno, os preços do milho disponível permaneceram sem movimentações em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, a valorização apareceu somente na praça de Sorriso/MT, disponível, (4,17% e preço de R$ 25,00).

Já as baixas foram encontradas em Londrina/PR (1,75% e preço de R$ 28,00), Assis/SP (2,48% e preço de R$ 31,50), Castro/PR (2,78% e preço de R$ 35,00), Dourados/MS (3,13% e preço de R$ 31,00), Não Me Toque/RS (3,17% e preço de R$ 30,50) e Campinas/SP (3,49% e preço de R$ 40,88).

De acordo com a XP Investimentos, as referências do milho seguem pressionadas, com indústrias e granjas paulistas permanecendo fora das compras, testando o mercado diferido. Os estoques robustos e o bom fluxo de milho tributado favorecem a estratégia e, as que tem alguma intenção de compra, pagam na casa dos R$ 37,00/sc.

Intermediários e silos, assim como produtores, tentam reduzir o volume ofertado, mas, aos poucos, vão entregando seus estoques para não criar alarde. A boa evolução das colheitas em lavouras paulistas e dos plantios de Inverno no Sul e Centro-Oeste projetam uma boa disponibilidade futura.

O acordo entre o Brasil e EUA, envolvendo a compra de trigo estrangeiro, também preocupa, dado que o cereal é um possível substituto do milho, soja e outros na composição de rações animais.

Confira como ficaram as cotações nessa quinta-feira:

>> MILHO

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário