Incerteza sobre o plantio americano mantem milho 1 cent mais baixo nessa 4ªf em Chicago

Publicado em 17/04/2019 17:23 e atualizado em 18/04/2019 09:38
168 exibições

LOGO nalogo

A quarta-feira (17) chega ao final com a Bolsa de Chicago (CBOT) da mesma maneira com que começou o dia, apresentando estabilidade nos preços internacionais do milho futuro. As principais cotações registraram movimentações entre 0,75 negativo e 1,00 negativo.

O vencimento maio/19 foi cotado à US$ 3,58, o julho/19 valeu US$ 3,67 e o setembro/19 foi negociado por US$ 3,75.

Segundo análise de Ben Potter da Farm Futures, o milho inicia movimentos mais baixos uma vez que as previsões meteorológicas prometem mais progresso no plantio da safra americana para os próximos dias.

O mercado aguarda o relatório de exportação do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) que será divulgado amanhã, com os analistas esperando que a agência mostre vendas de milho entre 19,7 milhões e 37,4 milhões de bushels (entre 500.399 e 949.997 toneladas) para a semana que terminou em 11 de abril.

A Agência Reuters destaca ainda que os mercados aguardam novos sinais de progresso nas negociações comerciais dos EUA com o maior comprador global de soja, a China. Os embarques de soja dos EUA para a China afundaram no ano passado depois que Pequim impôs tarifas sobre as importações dos Estados Unidos.

Os Estados Unidos e a China agendaram, provisoriamente, uma nova rodada de negociações comerciais face-a-face, com os negociadores pretendendo realizar uma cerimônia de assinatura no final de maio ou início de junho, segundo o Wall Street Journal.

"Estamos nessa posição de espera há meses e os preços não estão mais reagindo a especulações sobre um acordo", disse Matt Ammermann, gerente de risco de commodities da corretora INTL FCStone.

Além disso, a consultoria brasileira Céleres está antecipando uma safra recorde de milho para 2018/19, com sua última estimativa de 3,854 bilhões de bushels (97,8 milhões de toneladas).

Mercado Interno:

Já no mercado interno, os preços do milho disponível permaneceram sem movimentações em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, a valorização apareceu somente na praça do Oeste da Bahia (1,43% e preço de R$ 35,50).

Foram percebidas desvalorizações nas praças de Londrina/PR (1,92% e preço de R$ 25,50) e Brasília/DF (3,13% e preço de R$ 31,00).

A Radar Investimentos aponta que o mercado físico do milho está travado. “As incertezas políticas, a movimentação do caminhoneiros em relação ao aumento dos combustíveis e a proximidade do feriado têm feito o produtor se retrair”.

A XP Investimentos destaca que a novidade do dia fica por conta do anuncio de um novo leilão de venda dos estoques públicos de milho no Mato Grosso pela Conab. “Nos dois últimos, o volume negociado ficou abaixo do esperado (apenas 5,4% e 25,5% das 50 mil toneladas disponibilizadas), prejudicado pelos preços (considerados elevados). De acordo com informantes, uma nova rodada de baixa deverá acontecer para que o volume comercializado aumente”.

Confira como ficaram as cotações nessa quarta-feira:

>> MILHO

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário