Milho fecha terça-feira em alta pela sétima sessão seguida na Bolsa de Chicago

Publicado em 21/05/2019 17:05 e atualizado em 22/05/2019 09:31
460 exibições

LOGO nalogo

A terça-feira (21) chegou ao final com a Bolsa de Chicago (CBOT) sustentando as valorizações para os preços internacionais do milho futuro. As principais cotações registraram altas entre 5,25 e 6,00 pontos.

O vencimento julho/19 foi cotado à US$ 3,94, setembro/19 valia US$ 4,02 e o dezembro/19 era negociado por US$ 4,10.

De acordo com informações da Agência Reuters, os contratos futuros de milho dos Estados Unidos subiram para a sétima sessão com o maior valor em um ano na terça-feira, quando o clima chuvoso e os campos encharcados do cinturão de milho dos EUA paralisaram o plantio da primavera.

Segundo análise de Ben Potter da Farm Futures, os preços do milho subiram mais de 1% hoje, depois que o último relatório de progresso da safra do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) mostrou um ritmo de plantio historicamente lento nesta primavera.

O USDA estima que 49% da safra de milho dos EUA tenha sido plantada até 19 de maio. Esse é um avanço dos 30% da semana anterior, mas permanece significativamente atrás do ritmo de 78% em 2018 e uma média anterior de 80% em cinco anos. Os analistas esperavam que o USDA relatasse um progresso de 50%. Apenas nove dos 18 principais estados produtores plantaram pelo menos metade de sua safra de milho até o momento.

A produção agora enfrenta "grandes dificuldades", a menos que o clima seja perfeito para o resto da temporada, de acordo com Bryce Knorr, analista sênior de mercado de grãos da Farm Futures. "A área plantada pode cair para 90 milhões, 2,8 milhões a menos que o USDA estimado em março", diz.

Mercado Interno

Já no mercado interno, os preços do milho disponível permaneceram sem movimentações em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, a única praça que apresentou desvalorização foi Castro/PR (2,94% e preço de R$ 33,00).

As desvalorizações foram percebidas em Palma Sola/SC (1,72% e preço de R$ 29,50), Pato Branco/PR (1,84% e preço de R$ 27,70), Cascavel/PR (1,96% e preço de R$ 26,00) e Ponta Grossa/PR (3,13% e preço de R$ 33,00).

A Agrifatto Consultoria aponta que o mercado de grãos segue atento as negociações em Chicago. Ontem, o USDA divulgou sua nova estimativa de plantio e o atraso continua inflacionando os preços externos. A Guerra Comercial China x EUA e a peste suína também seguem em pauta.

No Brasil, o volume comercializado é pequeno, enquanto as colheitas avançam. O Imea anunciou o início de colheita no Mato Grosso. O Deral já havia observado o início em Campo Mourão (PR) e Toledo (PR) com, praticamente, 2 a 3 semanas de antecedência. Já nos portos brasileiros, tradings seguem trabalhando para equalizar a alta volatilidade de Chicago e cambial via prêmios.

Confira como ficaram as cotações nessa terça-feira:

>> MILHO

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário