Mercado absorve dados do USDA e milho segue se desvalorizando em Chicago nesta terça-feira

Publicado em 11/06/2019 12:07
396 exibições

LOGO nalogo

A desvalorização segue presente na Bolsa de Chicago (CBOT) para os preços internacionais do milho futuro ao longo desta terça-feira (11). As principais cotações registravam quedas entre 4,50 e 4,75 pontos por volta das 11h44 (horário de Brasília).

O vencimento julho/19 era cotado à US$ 4,11, o setembro/19 valia US$ 4,19 e o dezembro/19 era negociado por US$ 4,30.

Segundo análise da Farm Futures, os preços do milho são mais baixos, já que os traders estão digerindo o último relatório de progresso de plantio, publicado na segunda-feira pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos).

Enquanto os fazendeiros fizeram um bom progresso na semana passada, aumentando o plantio para 83%, esse ainda é o menor registrado na semana, com apenas o Texas e a Carolina do Norte completamente terminados.

“O surgimento também é lento em 62%, enquanto a primeira avaliação da agência sobre a safra ficou abaixo da média, com 59% classificados como boa a excelente. Isso se traduz em um rendimento de 170,5 bushels por acre, não muito longe de onde eu acho que o USDA estará hoje. Devido ao plantio tardio, espero que o rendimento “normal” projetado pela agência caia de 8 bushels por acre para 168”, diz Bryce Knorr da Farm Futures.

B3

A bolsa brasileira também caminha neste sentido, com as principais cotações registrando quedas entre 1,27% e 1,78% por volta das 11h38 (horário de Brasília).

O vencimento julho/19 era cotado à R$ 35,86, o setembro/19 valia R$ 35,95 e o novembro/19 era negociado por R$ 37,30.

Para a Agrifatto Consultoria, os contratos do milho na B3 perdem importantes suportes, e já começam a precificar a safrinha cheia. No balcão, a falta de liquidez ainda impede ajustes mais expressivos, com variações de preços bastantes regionalizadas.

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

2 comentários

  • WELLISTON FRANK TEIXEIRA DOUTOR CAMARGO - PR

    Região noroeste do Paraná terá uma perda na produção em torno de 30% devido à falta de chuvas do mes de abril. Conab manipulando o mercado mais uma vez... Acredite quem quiser!

    0
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      Sr. Welliston, o serviço da Conab é esse mesmo, muita gente fala aqui que não temos politica agrícola, temos politica agrícola sim, tá lá no site da Conab, e a politica agrícola do Brasil, tá escrito lá, não dessa forma que vou falar, mas é manipular o mercado mesmo. A conab é subordinada ao ministério da agricultura. Outros desancam o USDA, mas não falam nada do nosso "USDA" que é a Conab, de onde o USDA tira os dados para publicação. É só pegar o ano safra deles e ajustar com o nosso para comprovar isso, dá uma trabalheira danada e isso no meu modo de ver é proposital, é feito para enganar os brasileiros que julgam os problemas de outros países sem saber nada do que acontece dentro do próprio país.

      2
  • Jorge A. Graunke PONTA PORÃ - MS

    Não deu tempo de ler, o Mercado virou,. Complexo isso né... Ou são esses analistas meia-boca.

    1