Milho: Bolsa de Chicago opera com leves quedas nesta segunda-feira

Publicado em 09/09/2019 12:14 e atualizado em 09/09/2019 16:27
324 exibições
Condições climáticas nos EUA e proximidade do relatório de oferta e demanda do USDA atuam no mercado

LOGO nalogo

Os preços internacionais do milho futuro perderam força durante a segunda-feira (09) e operam com leves baixas na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registravam desvalorizações entre 1,00 e 1,50 pontos por volta das 12h02 (horário de Brasília).

O vencimento setembro/19 era cotado à US$ 3,41 com queda de 1,50 pontos, o dezembro/19 valia US$ 3,54 com baixa de 1,25 pontos, o março/20 era negociado por US$ 3,67 com desvalorização de 1,00 ponto e o maio/20 tinha valor de US$ 3,76 com perda de 1,75 pontos.

Segundo informações da Agência Reuters, o mercado está sob pressão devido às previsões de temperaturas mais quentes do que o normal no Centro-Oeste dos Estados Unidos.

“Isso pode melhorar a saúde da safra de milho nos estágios finais do desenvolvimento. Boas chuvas também são consideradas úteis para colher o potencial”, afirma Mark Weinraub da Reuters Chicago.

A Farm Futures aponta que os preços do milho estão um pouco mais baixos depois que as tentativas alta vacilaram rapidamente na sessão da noite para o dia. O milho de dezembro está lutando para de manter após a baixa de sexta-feira para o contrato, preso em uma tendência de baixa desde o relatório do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) de 12 de agosto.

“Eu tenho estimativas mais pessimistas para o relatório do USDA da próxima quinta-feira sobre milho, mas espero dados mais amigáveis ​​adiante, incluindo acres e produção colhidos mais baixos. O júri de 2019 será lançado até novembro ou mais tarde, sem indicações claras de rendimentos mais baixos”, pontua o analista de grãos Bryce Knorr.

B3

Na bolsa brasileira as movimentações também são limitadas, mas as principais cotações registravam leves altas por volta das 12h09 (horário de Brasília).

O vencimento setembro/19 era cotado à R$ 36,55 com alta de 0,25%, o novembro/19 valia R$ 37,65 com ganho de 0,24% e o janeiro/20 era negociado por R$ 39,01 com valorização de 0,31%.

De acordo com a Agrifatto Consultoria, a semana começa com recuperação do milho na B3, com os contratos retornando aos níveis observados na última semana.

“A notícia sobre a habilitação de 25 plantas brasileiras para exportar a China alimenta a perspectiva de um mercado doméstico mais dinâmico, destravando as negociações no mercado spot. De todo modo, a disputa de braço deve continuar nas próximas semanas, e o novo boletim de oferta e demanda a ser divulgado pelo USDA nesta quinta-feira (09) pode mexer novamente com as cotações”, dizem os analistas.

“Outro fator de precificação fica para o desempenho das exportações brasileiras, e o Ministério da Economia deve divulgar nesta tarde os primeiros volumes embarcados em setembro. A expectativa é que o volume a ser enviado pelo Brasil até o final deste mês fique entre 6 e 7 milhões de toneladas”, conclui a consultoria.

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário