Milho encerra a quinta-feira com leves altas na Bolsa de Chicago

Publicado em 03/10/2019 17:01 e atualizado em 04/10/2019 09:09
412 exibições
Mercado está preocupado com menos demanda e incerteza sobre oferta

LOGO nalogo

A quinta-feira (03) chega ao final com leves altas para os preços internacionais do milho futuro na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registraram ganhos entre 1,00 e 1,25 pontos.

O vencimento dezembro/19 foi cotado à US$ 3,88 com alta de 1 ponto, o março/20 valeu US$ 4,00 com elevação de 1 ponto, o maio/20 foi negociado por US$ 4,06 com valorização de 1,25 pontos e o julho/20 teve valor de US$ 4,08 com ganho de 1,25 pontos.

Esses índices representaram valorizações, com relação ao fechamento da última quarta-feira, de 0,26% para dezembro/19, de 0,25% para o março/20, de 0,50% para o maio/20 e de 0,25% para o julho/20.

Segundo informações do Blog Price Group, o milho ficou próxima da estabilidade nesta quinta-feira, uma vez que os traders estão preocupados com menos demanda e esperam ver menos oferta do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) em suas atualizações na próxima semana.

“É uma questão em aberto sobre o quanto o USDA pode alterar as estimativas de produção, pois houve muito pouca atividade de colheita até o momento. A demanda pode cair, pois o ritmo das exportações tem sido muito lento para iniciar a nova campanha”, comenta o analista de mercado Jack Scoville.

A estimativa de estoques ainda mostra uma abundância de suprimentos para o potencial de demanda, mas os EUA precisarão de uma boa safra para manter os suprimentos, afirma a publicação.

“A demanda continua sendo um problema, pois as vendas de exportação têm sido muito fracas e a demanda de etanol está diminuindo. Os produtores devem monitorar a ação do preço e os níveis de base locais com a ideia de iniciar ou aumentar as vendas. Eles terão a chance de vender milho velho e novo a preços melhores no curto prazo”, pontua Scoville.

Mercado Interno

No mercado físico brasileiro, a quarta-feira registrou cotações permanecendo sem movimentações, em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, foram registradas desvalorizações apenas em Sorriso/MT balcão (7,20% e preço de R$ 23,20) e disponível (7,69% e preço de R$ 24,00).

Já as valorizações foram percebidas nas praças de Castro/PR (1,35% e preço de R$ 37,50), Não-Me-Toque/RS (1,56% e preço de R$ 32,50), São Gabriel do Oeste/MS (1,67% e preço de R$ 30,50) e Campinas/SP (2,37% e preço de R$ 41,86).

De acordo com o reporte diário da XP Investimentos, após uma série de valorizações consecutivas, as referências do milho no mercado físico voltam a ficar de lado.

“A alta do dólar e a redução drástica dos estoques estimados pelo USDA foram os pontos chave para as altas das últimas duas semanas que, agora, perdem relativo ímpeto. As indicações de porto, que subiam de maneira consecutiva, estão em torno de R$ 40,50/sc, operando em níveis estáveis”, apontam os analistas.

A publicação ainda salienta que os preços subiram apenas em cima de ofertas, visto que o mercado físico brasileiro pouco realizou no período (fluxo de comercialização praticamente nulo).

A amostra da XP Investimentos tem média de R$ 39,08/sc, valorização de R$ 0,13/sc no dia, dado início do plantio em praticamente todo o Centro-Oeste, especulações envolvendo clima e chuvas que continuam na agenda.

Confira como ficaram as cotações nesta quinta-feira:

>> MILHO

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário