Milho: B3 volta do feriado tentando se manter em alta

Publicado em 04/06/2021 09:17 e atualizado em 04/06/2021 11:59 1036 exibições
Chicago sobe impulsionada por falta de chuvas nos EUA

LOGO nalogo

A sexta-feira (04) começa com os preços futuros do milho levemente mais altos na Bolsa Brasileira (B3) nesta volta após a paralização para o feriado de Corpus Christi na quinta-feira. As principais cotações registravam movimentações positivas entre 0,25% e 0,55% por volta das 09h14 (horário de Brasília).

O vencimento julho/21 era cotado à R$ 95,94 com ganho de 0,25%, o setembro/21 valia R$ 97,85 com elevação de 0,26%, o novembro/21 era negociado R$ 99,02 com valorização de 0,55% e o janeiro/22 tinha valor de R$ 100,00 com estabilidade.

Mercado Externo

A Bolsa de Chicago (CBOT) iniciou o último dia da semana buscando retomar o caminho de altas após as quedas de ontem. As principais cotações registravam movimentações positivas entre 8,00 e 10,50 pontos por volta das 08h59 (horário de Brasília).

O vencimento julho/21 era cotado à US$ 6,70 com ganho de 8,00 pontos, o setembro/21 valia US$ 5,925 com valorização de 10,50 pontos, o dezembro/21 era negociado US$ 5,76 com elevação de 10,00 pontos e o março/22 tinha valor de US$ 5,83 com alta de 9,75 pontos.

Segundo informações do site internacional Successful Farming, os grãos foram maiores no comércio da madrugada devido ao clima adverso em partes do meio-oeste e planícies dos Estados Unidos, com clima seco, mais uma vez, predominante em partes das planícies do norte, onde o milho está crescendo.

Pouca ou nenhuma chuva caiu na maior parte de Dakota do Norte, Dakota do Sul e norte de Minnesota na semana passada, de acordo com o Serviço Meteorológico Nacional. O norte de Nebraska e partes do sudoeste de Iowa também não viram chuva nos últimos sete dias

Relembre como fechou o mercado na última sexta-feira:

+ Na esteira da soja, milho liquida contratos em busca do lucro e preços caem nesta 5ª – Por Ericson Cunha

 

 

 

 

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário