Milho segue subindo na B3 nesta segunda-feira

Publicado em 13/09/2021 11:49
Relatórios do USDA de sexta-feira segue pressionando em Chicago

Logotipo Notícias Agrícolas

A Bolsa Brasileira (B3) segue ganhando força e subindo para os preços futuros do milho nesta segunda-feira (13) por volta das 11h48 (horário de Brasília).

O vencimento setembro/21 era cotado à R$ 93,11 com ganho de 1,02%, o novembro/21 valia R$ 93,21 com elevação de 0,76%, o janeiro/22 era negociado por R$ 94,49 com valorização de 1,08% e o março/22 tinha valor de R$ 94,70 com alta de 0,81%.

O mercado mais ofertado, que de acordo com a análise da Agrifatto Consultoria, pressionava novos recuos nos futuros do cereal na B3, deu espaço para uma recuperação positiva das posições neste começo de uma nova semana.

Mercado Externo

Os preços internacionais do milho futuro também se mantiveram no mesmo caminho do início da manhã, com recuos na Bolsa de Chicago (CBOT) por volta das 11h35 (horário de Brasília).

O vencimento setembro/21 era cotado à US$ 4,96 com desvalorização de 6,75 pontos, o dezembro/21 valia US$ 5,12 com perda de 5,00 pontos, o março/22 era negociado por US$ 5,21 com baixa de 5,00 pontos e o maio/22 tinha valor de US$ 5,26 com queda de 4,75 pontos.

Segundo informações do site internacional Farm Futures, os preços do milho caíram durante a noite, uma vez que os compradores globais avaliaram as condições de oferta mais amplas nos EUA após os relatórios WASDE e de produção de safra do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) de sexta-feira. 

“Os preços das novas safras caíram com a perspectiva de aumento da oferta e iminente atividade de colheita, enquanto os preços de 2022 caíram e pairaram perigosamente perto do benchmark de US$ 5,00 o bushels”, detalha a analista Jacqueline Holland.

Mas, para Matt Ammermann, gerente de risco de commodities da StoneX, os preços mais baixos não são tão ruins quanto muitos esperavam. “Milho e soja estão sendo enfraquecidos pelas previsões do USDA de maiores safras nos EUA na sexta-feira, mas as quedas são moderadas. Alguns esperavam números ainda mais pessimistas do USDA, então a queda nos mercados é relativamente modesta hoje”, disse à Agência Reuters esta manhã.

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário