Milho: Bolsa Brasileira abre a 5ªfeira ainda com pequenos recuos

Publicado em 23/09/2021 09:16 841 exibições
Chicago também começa caindo após altas de ontem

Logotipo Notícias Agrícolas

A quinta-feira (23) começa com os preços futuros do milho se mantendo na mesma tendência dos últimos dias na Bolsa Brasileira (B3) e registrando leves recuos por volta das 09h14 (horário de Brasília).

O vencimento novembro/21 era cotado à R$ 91,80 com desvalorização de 0,46%, o janeiro/22 valia R$ 93,42 com queda de 0,32%, o março/22 era negociado por R$ 93,10 com baixa de 0,34% e o maio/22 tinha valor de R$ 89,20 com perda de 0,25%.

Para o analista de mercado da Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze, o mercado brasileiro é um reflexo direto de que está sobrando milho.

“Tivemos indicativos de negócios para exportação na faixa de R$ 77,00 para a região de Sorriso/MT, mas a projeção é de 2,7 milhões de toneladas em setembro, que é historicamente o melhor mês de exportação. Isso dá sinais de que está sobrando muito no mercado e a B3 reflete isso”, explica.

Brandalizze acrescenta ainda que começamos o ano com escassez de milho e a safra veio complicada, mas como as exportações estão muito pequenas, vai sobrar milho e agora muita gente apareceu querendo vender.

Mercado Externo

Já a Bolsa de Chicago (CBOT) perdeu força após os ganhos de ontem e os preços internacionais do milho futuro voltaram a recuar por volta das 09h01 (horário de Brasília) desta quinta-feira.

O vencimento dezembro/21 era cotado à US$ 5,23 com desvalorização de 1,75 pontos, o março/22 valia US$ 5,31 com baixa de 1,75 pontos, o maio/22 era negociado por US$ 5,35 com perda de 1,75 pontos e o julho/22 tinha valor de US$ 5,34 com queda de 1,75 pontos.

Segundo informações da Agência Reuters, os futuros do milho em Chicago caíram na quinta-feira, perdendo alguns dos ganhos da sessão anterior, já que as expectativas de amplas ofertas da safra recém-colhida dos Estados Unidos e os relatórios de uma possível redução nas necessidades de biocombustíveis dos EUA pressionaram os preços.

Relembre como fechou o mercado na última quinta-feira:

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário