Milho na B3 reflete lógica da safrinha e recua 3,6% na semana

Publicado em 18/02/2022 16:36
Chicago sobe com perdas da AMS e se preparando para o feriado

Logotipo Notícias Agrícolas

A sexta-feira (18) chega ao final com os preços futuros do milho registrando poucas movimentações, com as principais cotações levemente positivas na Bolsa Brasileira (B3).

O vencimento março/22 foi cotado à R$ 96,80 com estabilidade, o maio/22 valeu R$ 94,10 com alta de 0,16%, o julho/22 foi negociado por R$ 88,93 com ganho de 0,57% e o setembro/22 teve valor de R$ 89,00 com elevação de 0,46%.

Na comparação semanal, os contratos do cereal brasileiro acumularam desvalorizações de 2,81% para o março/22, de 2,83% para o maio/22, de 3,65% para o julho/22 e de 2,95% para o setembro/22, em relação à última sexta-feira (11).

variação semanal do milho na B3

Para o analista de mercado da Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze, a B3 segue a lógica do plantio da safrinha, que avança rápido, especialmente no Mato Grosso e em Goiás, e atrai os olhares dos investidores.

“Se conseguir plantar no mês de fevereiro vem uma safrinha cheia com mais de 80 milhões de toneladas. Por isso vemos a B3 no segundo semestre já abaixo dos R$ 90,00, que são os valores da exportação”, diz.

Brandalizze ainda acrescenta que, o mercado começa a perder um pouco de força porque, do lado do comprador ele olha que a partir do fim de maio as primeiras lavouras vão ser colhidas, depois de junho e julho será colheita geral da safrinha. “O primeiro semestre ainda continua mais apertado acima de R$ 90,00, mas o segundo semestre está mais calmo”. 

No mercado físico brasileiro, o preço da saca de milho também flutuou pouco neste último dia da semana. O levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas encontrou desvalorização apenas em Ponta Grossa/PR e encontrou valorizações apenas nas praças de Maracaju/MS, Campo Grande/MS e Palma Sola/SC.

Confira como ficaram todas as cotações nesta sexta-feira

De acordo com a análise diária da Agrifatto Consultoria, “o mercado físico do milho patina com a baixa atividade das pontas negociadoras com a saca em Campinas/SP recuando ligeiramente para R$96,00/sc”.

A SAFRAS & Mercado destaca que, o mercado brasileiro de milho teve uma semana de quedas nas cotações em algumas regiões do país. “A oferta cresceu, reflexo da colheita da safra de verão, e da necessidade de caixa dos produtores, e os preços acabaram respondendo a esse movimento”.

O analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, ressalta que algumas regiões, destacadamente São Paulo, tiveram incremento da oferta. “Os consumidores tentam aproveitar este momento, para exercer pressão sobre o mercado”.

Para o restante de fevereiro, a consultoria acredita que segue uma tendência de pressão de baixa. Adiante, para março, o mercado tende a uma maior firmeza e a avanços nas cotações. 

Iglesias ressalta que o avanço da colheita da soja será um fator relevante nas próximas semanas, considerando o possível encarecimento do custo do frete. “Espera-se, como normalmente ocorre, que haja um foco maior na colheita, comercialização e transporte da soja. Assim, o milho acaba sendo deixado de lado, a oferta do cereal se reduz, e os preços tendem a reagir a isso”.

Mercado Externo

Já a Bolsa de Chicago (CBOT) ganhou força ao longo do pregão e fechou o último dia da semana contabilizando movimentações positivas para os preços internacionais do milho futuro.

O vencimento março/22 foi cotado à US$ 6,54 com valorização de 4,25 pontos, o maio/22 valeu US$ 6,52 com alta de 3,50 pontos, o julho/22 foi negociado por US$ 6,47 com elevação de 2,00 pontos e o setembro/22 teve valor de US$ 6,08 com ganho de 1,00 ponto.

Esses índices representaram altas, com relação ao fechamento da última quinta-feira (17), de 0,62% para o março/22, de 0,46% para o maio/22, de 0,31% para o julho/22 e de 0,16% para o setembro/22.

Na comparação semanal, os contratos do cereal norte-americano acumularam ganhos de 0,46% para o março/22, de 0,31% para o maio/22, de 0,31% para o julho/22 e de 0,16% para o setembro/22, em relação à última sexta-feira (11).

variação semanal do milho na CBOT

Segundo informações da Agência Reuters, os contratos futuros de milho da Bolsa de Chicago subiram pelo terceiro dia consecutivo nesta sexta-feira devido a preocupações com as colheitas no Brasil e na Argentina limitando a produção.

“É realmente a deterioração da safra da América do Sul que está impulsionando a compra no mercado futuro e esperamos que isso se traduza em uma recuperação na demanda por soja dos EUA. A recente compra da China parece reforçar a preocupação com a oferta sul-americana”, disse Tomm Pfitzenmaier, analista da Summit Commodity Brokerage em Iowa. disse em uma nota aos clientes.

Além disso, os traders ouvidos pela Reuters também disseram que as commodities estão recebendo apoio extra, já que os investidores desfazem as posições vendidas antes de um fim de semana prolongado. Os mercados dos Estados Unidos estarão fechados na segunda-feira para o feriado do Dia dos Presidentes.

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

1 comentário

  • Geovani Salvetti Ubiratã - PR

    Safrinha não tem nem umidade para ser plantada, com la ninha tá difícil

    3
    • nilo otavio baqueta Mamborê - PR

      Tá virando uma bola de neve, safrinha passada horrível , verão agora horrível e entrando numa nova safrinha se desenhando horrível tbm ... que Deus proteja e nos de saúde e discernimento.

      2
    • leandro carlos amaral Itambé - PR

      Até na seca tem o lado bom.....já pensou se tivesse tudo normal......vai servi para empresas começarem a olhar pro produtor com outros olhos,para com esse empurrometro e também da uma freada nesses arrendamentos absurdo.....

      3
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Sabe qual é a diferença com o USA ?

      Lá eles tem o "GREEN FARM" onde o governo paga para eles NÃO PLANTAR !!!

      Aqui no Brasil o MAPA "esticaaaaa" a janela de plantio e joga o "ABACAXI" PARA OS PRODUTORES E AS EMPRESAS DE SEGUROS "DESCACAREM" !!! ... UMA VERDADEIRA "ARMADILHA" !!!

      ENXERGUEM A REALIDADE !!!

      VOCÊS DEVEM "MATUTAR" !!!!

      0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      PRESTEM ATENÇÃO !!!

      OS PRODUTORES RURAIS BRASILEIROS SÃO A "MAIOR FORÇA DO PAÍS"!!!

      6
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      NÃO ACEITEM "JANELAS ARREGAÇADAS"!!!

      4
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      QUANTO MAIS VOCÊ FUGIR DA REALIDADE ... MAIS LONGE VÃO ESTAR SEUS OBJETIVOS !!!

      O CLIMA NÃO MUDA COM A EDIÇÃO DE UMA MEDIDA BUROCRATICA !!!

      0